Cinema em Foco - O Primeiro Homem

Por Bruna Horta

8 de novembro de 2018


O que faria um homem para chegar onde ninguém chegou? 

No filme “O Primeiro Homem”, vemos a resposta dessa pergunta através da trajetória de Neil Armstrong que o fez ser o primeiro homem a pisar na lua. Não foi um caminho fácil. 

O risco que os astronautas corriam e a dificuldade tecnológica eram enormes para a época, mas a corrida espacial contra a União Soviética era maior, o desejo de provar-se contra o inimigo. Infelizmente por conta disso, Neil acabou perdendo muitos amigos ao longo do caminho e sua esposa Janet segurou as pontas em casa com os dois filhos. E é muito importante destacar o papel de sua mulher em sua história. Sem ela, talvez ele não tivesse chegado até lá. 

A cada avanço na carreira e desafio imposto pela Nasa, Neil se distanciava de casa. É uma metáfora importante do filme que talvez justifique porque foi Neil e não outro homem a chegar primeiro na lua. Porque sua mente já estava lá. A cada passo rumo ao desafio, era distanciar-se de todos ao seu redor. Sua personalidade introspectiva, muito provavelmente agravada pela morte precoce da filha o tiraram daquela realidade, e ele só conseguiu superar o trauma e deixar pra trás o passado, quando larga a pulseira da filha na lua. Ali é o momento que ele retoma o equilíbrio para no retorno à Terra, conseguir reaproximar de Janet e dos dois filhos. 

Talvez seja por isso que muitos tenham achado o filme bom, mas sem algo incrível. Neil não era incrível, ele era um nerd ambicioso, focado e dedicado. Não ter muita empatia pelo protagonista faz com que a gente se distancie e veja os minutos do filme se arrastarem pela tela. Faz com que a gente admire o trabalho de Damien Chazelle, explorando mais um gênero cinematográfico sendo pupilado pelo Spielberg, assim como a bela trilha sonora e a fixação do diretor pelo belo Ryan Gosling; mas talvez o que fique no final martelando em nossa cabeça seja: palmas Claire Foy! 

Num filme sobre um homem, é a atuação dessa mulher que rouba a cena. Aguardem a indicação do Oscar.
Comentário(s)
0 Comentário(s)