Cinema em Foco: 22 de Julho

Por Ellen Joyce Delgado

26 de novembro de 2018


Um filme marcante com uma história real. Com um acompanhamento de realismo e o domínio sob a condução de todas as cenas, o Diretor Paul Greengraas, recentemente, apresentou ao mundo o contexto inolvidável de 22 de Julho um atentado sofrido em Oslo, na mesma data, no ano de 2011

Seu novo filme, produzido pela Netflix, relata a história do atentado na Noruega, onde um absolutista político – Anders Behring – consuma dois ataques, resultando na morte de 75 pessoas e vários outros feridos. 

O filme já se inicia com as cenas da catástrofe sendo consumada. O extremista elabora um ataque inicial, partindo, em seguida, como um defendente de alguns jovens que se reuniam em um encontro distante da cidade para discutir sobre assuntos políticos. Essa reunião o incomodava porque a ideia dessa conferência era articular ideias sociais – contrapondo seus princípios radicais. 



As cenas mostram parte daquilo que pode realmente ter sido vivido pela grande maioria – vindo daqueles que ainda sobreviveram de uma forma sã para confrontar o assunto. Ninguém mais poderia saber, ao certo, o que realmente ali acontecera. 

Os ataques mostram a repercussão mundial e a frieza de um cidadão compatriota de um país tão pacifista. Inicia-se, então, o julgamento. O dia mais aguardado por todos aqueles que sofreram, de alguma forma, por um dia tão lesivo – vítimas, familiares e socorristas

A realidade é o clímax fundamental da obra. Pude ver, em todas as cenas, autenticidade, existência, pânico e o desprezo vindo dos olhos de um homem insano. 



O ator Aleksander Holmen que protagonizou o matador realmente soube interagir com o papel. Seu trabalho foi envolvente, o que o parabenizo ainda mais por tamanha dificuldade: ele vivia um assassino em série. 

As outras luzes também devem se voltar para as vítimas. Aqueles que experimentaram o papel do padecimento. Os jovens que sobreviviam e deveriam estar de frente com o controlador das balas que por eles passaram. 

O discurso do filme, no meu ponto de vista, não se perde em nenhum momento. O fato de saber que tudo aquilo foi real um dia deixa-nos uma marca ainda maior. Classifico essa produção como excelente e estamos todos no aguardo para futuras premiações da obra, sabendo que a mesma já tem algumas indicações.

Comentário(s)
0 Comentário(s)