How to Get Away With Murder - 5x04 - It's Her Kid

Por Bruna Horta

22 de outubro de 2018


Não há como negar: todo mundo guarda um pouco de rancor e traumas ao longo da vida. Sim, essas foram as duas temáticas do quarto episódio de How to Get Away With Murder. E o que aprendemos com isso? Nem todo mundo gosta de admitir que guarda rancor ou gosta de ver seus traumas revirados e expostos ao mundo. 

Bem, isso fica muito claro quando Annelise pede para Nate parar a investigação sobre o filho sequestrado de Bonnie, pois é uma questão muito traumática, já que foi fruto de um estupro que ela sofreu. Mais claro ainda, quando a própria Bonnie titubeia ao pedido de Miller de assumir oficialmente o namoro através da ficha do RH. As palavras relação consensual são ainda bem fortes para a advogada, como um gatilho para o que aconteceu no passado. Ainda assim, percebemos que a personagem consegue passar por isso ao assinar o papel, mas saber sobre a possibilidade do seu filho estar vivo ainda mexeu com ela e só os próximos episódios poderão dizer o quanto este trauma vive em Bonnie. 

Ainda na relação pais e filhos e trauma, temos duas outras narrativas. O caso do Nate pai foi julgado e ele teve que se submeter à avaliação psicológica, tendo que se relembrar do dia que matou o companheiro de cela. A dificuldade existiu também para Nate, ao contar para o pai que mesmo passando na avaliação e usando a alegação dos transtornos mentais, teria que ir para um hospital psiquiátrico. O medo era de um possível rancor ou desentendimento com o pai, mas o que vimos foi uma cena linda de entendimento e perdão entre pai e filho. Ainda na temática do trauma, a relação entre Annelise e Christopher caminha para onde já imaginava, o bebê de Laurel está sendo um gatilho para a professora que perdeu o filho no nascimento. É triste vê-la reviver esse sentimento toda vez que olha o bebê, mas tal temática pode mais para frente ser compensada com a aproximação do estudante Gabriel. Além de negro e interessado nos mesmos temas jurídicos que ela, é inegável que o aluno está se aproximando à relação que Keating tinha com Wes. 

E falando em relacionamento com alunos, a temática rancor fica bem clara na forma como Connor lida com o fato de Annelise pesquisar sobre o passado dos alunos. O problema mal resolvido com a escolha do antigo K-5 é exposto na discussão dos dois e ainda deve perdurar. Outro que guarda rancor da professora é Asher, que ainda não aceitou ter ficado de fora do K-4. E o rancor passa por vários sentimentos misturados a ele. Claramente enciumada pelo desprezo de Tegan, Michaela guarda esse rancor por ainda não ter sido perdoada pela antiga chefe. 

Não será de uma hora pra outra que tais rancores dissiparão ou que os traumas serão superados, mas só de alguém saber que eles existem já é um grande passo para a mudança. Um exemplo disso é Annelise citando para Emmet que sabe da conduta dele diante das clientes, ela toca num ponto complicado, mas o constrangimento do chefe pode gerar reflexão sobre tal ato. 

Por fim, voltamos ao flashfoward do casamento e as peças e timeline fica mais confusa. O que Bonnie estaria fazendo com o celular de Nate? Onde está Oliver? O que Annelise viu ou fez para transtorná-la tanto? Só com mais informações para poder especular um pouco mais. Aguardemos!
Comentário(s)
0 Comentário(s)