Grey's Anatomy - 15x3 - Gut Feeling

Por Rozany Adriany

9 de outubro de 2018


O terceiro episódio da temporada me pareceu um pouco sem graça, se pensarmos no potencial que os casos apresentados poderiam ter, fazendo com que o episódio fosse muito mais envolvente. Ao invés disso, o foco ficou voltado para coisas e situações banais!

De um lado, Maggie passou o episódio inteiro agindo como uma criança mimada descontando suas frustrações em seus colegas de trabalho. E, sinceramente, se nunca fui fã do casal Jaggie e achei que não dava para piorar, fui surpreendida com essa história de Jackson simplesmente desaparecer sem dar sequer a mínima explicação viável para sua parceira (independente de ser Maggie e de eu achar que os dois não deveriam estar juntos). Se clarearmos a memória e retornarmos algumas temporadas atrás quando April decidiu ir embora sem mais nem menos após a morte do seu primeiro filho e deixou Jackson sozinho e desamparado com sua dor, conseguimos fazer uma relação com a situação atual. Eu sei que as duas situações são completamente diferentes, mas os atos tão parecidos me deixaram decepcionadas, uma vez que é uma falta total de respeito e consideração com alguém agir da forma que Jackson agiu.

Além disso, outra situação desagradável é a em que Maggie se encontra ao guardar o segredo de Teddy enquanto vê Amélia se envolvendo mais a fundo com Owen. Eu sinceramente não sei como agiria em tal situação, e tudo o que consigo fazer é torcer para que os roteiristas desenvolvam caiam em si, desenvolvam melhor esse plot da Teddy e sua gravidez e acabem com esse segredo que só vai gerar mais confusão desnecessária. Porque, uma coisa é certa, não é confusão ao estilo "casos de família" que nós estamos querendo ver ao assistir a série!

E é exatamente neste ponto que preciso falar sobre os casos da vez. Uma paciente com uma serra elétrica em seu corpo, um paciente com uma doença raríssima que o faz parecer um alcoólatra e um paciente com problemas mais sérios do que um simples sangramento nasal, e tudo o que conseguiram fazer com esta leva de casos fortes foi trazer desentendimentos desnecessários dentro e fora das SO. É sério isso, gente? Mais uma vez me pergunto onde enterraram aquele hospital escola fodástico que costumava nos deixar vidrados em frente à televisão por trazer casos cada vez mais extremos e agoniantes. De que adianta pensar em casos extraordinários se não vai explorá-los? 


O desenrolar da história do paciente com o sangramento nasal foi 100% previsível, desde sua chegada com a despreocupação de Roy ao deixa-lo na maca ficou evidente que algo iria dar errado, e no momento em que tudo desandou, em que todos caíram matando no interno, nada surpreendeu. E algo me diz que essa história ainda não terminou! 

No mais, também preciso tocar em dois outros pontos: Karev e Meredith! Eu fiquei empolgava em ver Karev como chefe e seria inocente demais acreditar que tudo daria super certo logo no primeiro dia, coisa que sabemos que é bem improvável. Outro ponto que é até previsível aqui, afinal, se você é jogado em um novo cargo da noite para o dia sem um treinamento e sem nenhuma orientação, é claro que você irá cometer erros e é claro que não serão poucos! Então, ainda consigo manter uma certa esperança de que ele consiga se encontrar no cargo e consiga mostrar para todos sua evolução e sua maturidade.

E no que diz respeito à Meredith, desde o beijo entre ela e DeLuca na season finale anterior, venho sentindo um clima entre os dois, desde os sonhos eróticos dela, até as trocas de olhares e o desconforto evidente entre eles. E, acreditem não é fácil dizer isso, mas preciso admitir, estou levemente inclinada a acreditar que os dois dariam um bom casal! Só nos resta esperar para ver como as coisas irão se desenrolar para os dois, caso realmente se envolvam.
Comentário(s)
0 Comentário(s)