Primeiras Impressões - FBI

Por Vittoria Crispim

28 de setembro de 2018


A série lançada pela CBS com direção assinada pelo Dick Wolf promete ser uma boa aposta no seguimento procedural.

Com uma filmagem rápida e dinâmica, a FBI prende o telespectador nos primeiros minutos do episódio com facilidade. Entretanto, o ponta pé com a explosão do prédio, me lembrou a já cancelada Quântico e se atentarmos a este fato, é bom ficar de olhos nos próximos episódios para ver se Wolf não vai cometer os mesmos erros que a ABC cometeu com a série estrelada por Priyanka Chopra.

E falando em elenco, FBI trás de volta Missy Peregrym (Andy McNally, em Rookie Blue) e a atriz mostra a que veio. Com certeza, um acerto e tanto na escolha de protagonista. Já o seu parceiro de cena, Zeeko Zaki não me chamou tanto a atenção; e apesar de levar o título de protagonista também, me pareceu mais um coadjuvante perto da potência que Peregrym apresentou no primeiro episódio. 



Até o momento, não foi apresentado a fundo a história dos nossos personagens. Sabemos apenas que Bell (Missy Peregrym) é viúva, que até então não superou completamente a morte do marido. O personagem de Zaki, Omar Zidan, aparenta ser um bom agente e bom parceiro para Bell. Mas o que mais me chamou a atenção foi a participação no episódio de Connie Nielsen, como Ellen Solberg, a personagem possui um prestigiado cargo no FBI e sendo mulher, comanda um esquadrão inteiro com mãos de aço. Mesmo já conhecendo o trabalho do Dick Wolf e sabendo como ele mostra o papel da mulher em uma profissão predominantemente masculina (O que podemos ver em Law and Order- SVU estrelado por Mariska Hargitay) foi de muito alento e alegria ver a atuação e um papel tão bem estruturado mostrado sob a prospectiva de uma mulher. Um ponto super positivo para a estreia da série. 

Mas e quanto ao episódio em si e a história? Bem, ela não foge de uma procedural, sendo assim não há grandes expectativas para o episódio. Apesar de ser muito bem estruturado e uma temática envolvente, quem já conhece e gosta do gênero, sabe como funciona uma série desse segmento. 

O único fato que me deixou um tanto alerta foi algumas semelhanças que notei com a série Quântico; que sejamos honestos, foi um grande fracasso depois de todo o alarde da imprensa para apresentar a primeira produção da prestigiada estrela de Bollywood. Desde a apresentação da série até no cartaz de divulgação, que pode ser apenas coincidência, porém para quem conhece os trejeito das produções do Wolf é necessário reservar um pouco a expectativa.

Sendo assim, é uma série que vale sim começar a assistir. Na linha procedural, ela segurou bem a estreia e pode ser a grande aposta da CBS para o ano. Resta saber se vão conseguir segurar o ritmo dela e transformá-la nos sucessos de uma das mais prestigiosas Produtoras que a CBS coloca no horário nobre do canal.
Comentário(s)
0 Comentário(s)