Literatura em Foco: Cartas a D. - História de Um Amor

Por Rozany Adriany

24 de agosto de 2018


Comecei Cartas a D. esperando um romance avassalador, como a típica romântica incurável que sou, e devo dizer que, de certa forma, a história me surpreendeu de forma positiva e negativa. No livro, publicado pela Companhia das Letras, André Gorz, um renomado filósofo francês, relembra sua história de amor com sua mulher Dorine em uma simples e delicada carta. 

A história do casal é interessante e surpreendente. A devoção de Gorz por sua mulher é notória a todo momento através de suas palavras, assim como a dedicação e o companheirismo de Dorine. E, fazendo um balanço geral, sinto que o livro é um verdadeiro e cru exemplo do quanto necessitamos valorizar as pessoas que estão ao nosso lado porque nunca sabemos quanto tempo temos com elas. 

Gorz viveu muitos anos submergido em seus escritos, em sua necessidade de estar sempre escrevendo, sendo por vezes extremamente ausente para sua mulher que, independente de como se sentia com relação a isso, jamais deixou de apoia-lo e motivar-lhe em sua escrita, até que o casal descobre a doença degenerativa de Dorine e todos aqueles futuros anos ao qual o filósofo parecia estar guardando para então estar presente de verdade em seu casamento se viram contados e escassos.  

A relação do casal é linda, afinal, todos queremos um companheiro que nos apoie incondicionalmente em nossos objetivos e conquistas, que nos conheça a tal ponto de saber exatamente porque fazemos o que fazemos. Ao meu ver, Dorine era a luz na vida de Gorz, era sua força e motivação, principalmente nas épocas mais difíceis de seu trabalho.

Devo confessar que demorei um pouco para mergulhar na leitura, sentimentalmente falando, por toda a descrição da trajetória de militância do casal. Por vezes a história me pareceu estar sendo apenas descrita como uma espécie de biografia, até chegar às últimas páginas do livro a partir da descoberta da doença de Dorine e então ver todo o sentimento despejado ali. 

E é exatamente aqui que entra a questão de que devemos aproveitar o hoje, de que devemos mostrar e demonstrar em ações (e não apenas falar) quão importantes são para nós as pessoas que nos rodeiam, afinal, a única certeza que temos do amanhã é que ele é totalmente incerto. 

Como falei, o livro tem pontos positivos e negativos... Para quem se interessa principalmente por história, talvez as primeiras páginas não sejam tão tediosas como foram pra mim, em certos momentos, mas, uma coisa é certa: em um mundo onde as pessoas estão cada vez mais esquecendo de valorizar quem tem ao seu lado, seja em uma relação amorosa ou em relações de amizade, esta é uma leitura enriquecedora e que nos faz refletir.

Ah, e o final é simplesmente emocionante, de arrepiar e faz nossos corações se inundarem com um sentimento inexplicável!
Comentário(s)
0 Comentário(s)