Literatura Em Foco - Filosofia Para Corajosos

Por Alvaro Luiz Matos

13 de julho de 2018

Sempre repito que estamos vivendo em um momento muito crítico na sociedade brasileira, onde o separatismo se torna cada dia mais evidente e prejudicial. Quando cito separatismo, não estou me referindo a separar estados e criar novos países, me refiro a uma sociedade dividida, que se passou a “autoconclamar” de coxinhas e mortadelas.

Para você, que assim como eu, não procura fazer parte de divisões e acredita que ponderar sobre o positivo e negativo de cada lado, desse enorme pentagrama que se tornou nosso país, é necessário; venha comigo fugir dessa câmera de eco ressoante.

Bem, o que chamamos de câmera de eco? Em miúdos, quando você se projeta a uma forma de pensar ou agir e se circula de pessoas e opiniões similares a sua, provavelmente você nunca perceberá alguns erros e incoerências gritantes. Fugir da câmera de Eco é pensar livremente, aceitando e ouvindo toda forma de pensar existente.

Por isso geralmente costumo ler desde Olavo de Carvalho até Leonardo Boff, antagonistas em suas maneiras de pensar, mas complementares quando o objetivo é pensar.

Mas afinal, o que isso tem a ver com “Filosofia para Corajosos”? Eu acredito que tudo, afinal “Pense com a própria cabeça” é um subtítulo para quem entende que para pensar é importante conhecer pontos de vistas destoantes.

Luiz Felipe Pónde é um dos poucos filósofos contemporâneos que eu prefiro escutar do que ler, muitas vezes porque suas entrevistas e palestras são sempre bem pausadas e argumentadas, mas que em seus livros, este fenômeno se sobressai e deixa a leitura fragmentada demais.

De qualquer forma, apesar da crítica à forma de escrever do autor, Filosofia para Corajosos é um produto sensacional, que se destaca pelo embasamento e fácil compreensão. Sendo este um dos maiores contrapontos à minha forma de pensar sociedade, me gerando dúvidas sobre certezas das quais eu havia enraizado em mim e abrindo os olhos para um novo horizonte.

Em suma, esse é o maior objetivo do livro: Criar dúvidas e desfazer conceitos pré definidos sobre diversos assuntos desse cotidiano infectado. Objetivo muito bem conquistado pelo autor em uma de suas obras mais simples e certeiras.

“Não diria com certeza que a honestidade vale a pena, mas sem esperança a vida é intragável”.

Comentário(s)
0 Comentário(s)