The Bold Type - 2x01 - Feminist Army (Season Premiere)

Por Rozany Adriany

13 de junho de 2018

A segunda temporada de The Bold Type voltou com tudo, e se você ainda não conhece a série, te deixo aqui um Primeiras Impressões que fizemos assim que a série estreou. Acreditem, vocês não irão se arrepender! Mas agora, vamos às considerações sobre esse retorno.

Feminist Army foi um episódio muito interessante, e como de costume, trouxe temáticas muito pertinentes em vários âmbitos. Após a finale em que, teoricamente, as três amigas seguiram rumos diferentes em busca de seus objetivos particulares, a segunda temporada retorna com Kat retornando de sua viagem de férias com Adena, com Jane se adaptando à seu novo trabalho e Sutton lidando com sentimentos contraditórios com relação ao pessoal e ao trabalho.

É interessante ver as personagens lidando com situações que as afastam de sua zona de conforto, como o caso de Kat. A personagem ainda está se descobrindo em seu relacionamento com Adena, e todos os medos e inexperiências estão a flor da pele, mesmo que, após a viagem seu instinto seja assumir-se para o mundo e não mais esconder-se. Porém, o mais importante nessa jornada não é tornar tudo público e sim trabalhar a dois para fortalecer a intimidade e há algo mais íntimo em um relacionamento do que ser capaz de falar abertamente com seu (a) parceiro (a)? 

E se o relacionamento de Kat e Adena está indo de vento em polpa, apesar das novas adaptações; por outro lado, Sutton sofre pela pressão em escolher entre o amor ou seu crescimento profissional. Infelizmente, há certos âmbitos profissionais em que as mulheres são julgadas pelos colegas de que apenas são capaz de crescer no que fazem por ancorar-se em algum homem, por estar dormindo com ele, mesmo que isso não aconteça, na maioria dos casos. 

Eu, particularmente, penso que Sutton não deveria ter que escolher entre um e outro, já que em sua consciência e quem a conhece de verdade sabe que tudo o que vem conquistando em seu emprego é fruto de seu esforço, não de com quem dorme ou não; porém, a verdade é que certas fofocas, por mais falsas que sejam, afetam a reputação e muitas vezes tornam o trabalho um peso. Por isso, entendo a personagem ao escolher seu trabalho (sigo shippando o casal e espero reviravoltas porque o amor precisa prevalecer e a recalcada fofoqueira precisa quebrar a cara). 

Por fim, temos Jane. A personagem saiu da Scarlet a fim de alçar novos e independentes voos, ao sentir-se muito restrita à empresa. Incite lhe pareceu a oportunidade perfeita, afinal, lhe ofereceu tudo o que ela estava procurando. Porém, parece que no fim das contas a coisa não é bem assim! E após, dar de cara com uma matéria mais complicada do que lhe parecia, Jane se encontra em uma encruzilhada sobre como abordar a matéria. O que, pelo visto, ela não esperava era que sua editora iria torna-la completamente diferente daquilo que ela pretendia. Já pode retornar à Scarlet, não é mesmo? 

No geral, gostei bastante do episódio e do retorno da série! Acredito que comentei isso em meu primeiro texto, mas sinto que devo reforçar: The Bold Type parece ser aquela série bobinha, clichê, mas que na verdade não é. A série trata de temáticas muito persistentes e o empoderamento feminino é o principal deles, não só no âmbito profissional, como também no pessoal. 

Ps. O bônus para mim é a reafirmação constante de que somos capazes de enfrentar todo e qualquer problema e/ou adversidade se temos pessoas dispostas a apoiar-nos, consolar-nos e, principalmente, dizer não só o que queremos ouvir, mas exatamente aquilo que precisamos. Afinal, quem somos nós sem amigos?

Até a próxima, gente!
Comentário(s)
0 Comentário(s)