Terapia Em Série: Jeito Jessica Jones de Salvar o Mundo

Por Sabrina Ratuce

9 de junho de 2018


Tenho que contar para vocês, Jessica Jones é uma das minhas heroínas favoritas! 
  • Não é moralmente perfeita;
  • Fala palavrão quase o tempo todo;
  • Não segue as leis para conseguir solucionar os casos da sua agência de investigação;
  • Não sabe retribuir carinho.

Mas ela é muito sensível, embora esconda isso atrás de 20 metros de parede concretada, demonstrando raramente o apreço que tem pelas suas pessoas mais próximas e também pelas pessoas já dominadas pelo Kilgrave (manipulador de mentes que abusou de Jessica física e psicologicamente).

Ela sabe que não é uma heroína e nem o quer ser, mas não consegue deixar as pessoas com quem convive correrem perigo. Sempre dá um jeito “Jessica” para salvar alguém.

Um acidente de carro no passado, ser adotada, a descoberta dos seus poderes (imensa força e saltos altos), relacionamento abusivo com Kilgrave e diversas outras perdas, fizeram com que Jessica buscasse o auxílio nas bebidas.

A bebida para Jessica é usada como fuga: fuga de memórias do passado, fuga da realidade do presente e fuga também do que a espera no futuro

Mas a gente vê na série que esse recurso utilizado por ela não dá tanto certo, né? 

Alcoolismo não ajuda a fugir de nada, pelo contrário, é uma corrente que nos prende e não nos deixa evoluir.

Jessica, Jessica... forte e sensível, grossa e delicada, esperta mas também frágil. Ela nos mostra que para enfrentar os problemas precisamos ser fortes, e precisamos também dos outros. O que seria da Jessica se não fossem os cuidados espevitados da Trish, do Malcolm e do Luke?

Vamos nos conter esperando a 3º temporada... Quem sabe ela volta com suas emoções não encarceradas numa prisão de vigilância máxima e bem melhor que isso: mais forte não só fisicamente, como emocionalmente.

E termino com uma pergunta: Teria como melhorar esse jeito Jessica Jones de salvar o mundo?

Até a próxima ;)
Comentário(s)
0 Comentário(s)