Sense8 - Episódio Final

Por Janaína Guaraná

8 de junho de 2018


Sense8 teve duas temporadas amadas pelo seu público, mas que segundo a Netflix, não alcançaram os números desejados e foi cancelada. Após a comoção dos fãs, um furor com mais de 500 mil assinaturas, a série ganhou um episódio final, que foi lançado hoje. 

Com 2 horas e 31 minutos, o episódio final chamado 'O Amor Vence Tudo' (Amor Vincit Omnia) consegue encerrar com chave de ouro a história dos Homo Sensorium. Apesar da pulsante sensação que a série tem repertório para mais temporadas geniais, esse desfecho sacia os fãs e entrega um final cuidadoso e satisfatório para seus personagens. 

Desta vez, nosso cluster favorito precisa salvar Wolfgang Bogdanow (Max Riemelt) das mãos da OPB, entidade que caça os Homo Sensorium com medo de sua evolução e o poder que eles poderiam ter sobre os Homo Sapiens. Para isso, Will Gorski (Brian J. Smith), Sun Bak (Doona Bae), Kala Dandekar (Tina Desai), Nomi Marks (Jamie Clayton), Riley Blue (Tuppence Middleton), Lito Rodriguez (Miguel Ángel Silvestre) e Capheus Onyango (Toby Onwumere) finalmente conseguem se reunir em Paris, para traçar um plano de entregar o vilão Sussurros (Terrence Mann) e acabar de uma vez com todas com a iminente extinção de sua espécie. 



Cada um dos sensates tem seu momento de glória, mesmo com o curto tempo em tela. Vemos como cada um dos oito personagens se conecta e se completa, e ainda somos premiados com a dinâmica com aqueles que fazem parte de suas vidas, mas não são sensates - como o devido tempo dado para a Amanita (Freema Agyeman), Daniela (Eréndira Ibarra) e Rajan (Purab Kohli). 

Explicando as motivações do Sussurros e da OPB, o episódio consegue encerrar todas as pontas soltas com louvor, entregando um final redondinho. Fica nas entrelinhas que toda essa complexa trama escrita por J. Michael Straczynski e Lana Wachowski serve apenas como um pretexto para passar a mensagem que o amor vence tudo, quebra preconceitos e nos torna seres mais evoluídos. 

Como se estivéssemos ouvindo uma prece sobre a liberdade de ser quem somos naquele lugar que guardamos o mais precioso de nós, a liberdade que os escritores não conseguem colocar nos versos, pois essa liberdade ainda está presa sob uma sociedade construída em pré-conceitos, e quando algo tão livre ganha os céus, e somos agraciados com um coro que canta e espera por dias melhores. 

0 

Bônus: Dirigido por Lana Wachowski, após a irmã Lilly se afastar da série por motivos pessoais, o episódio final é digno de uma superprodução hollywoodiana de US$ 200 milhões de dólares.

Confiram abaixo o trailer dessa viagem:

Comentário(s)
0 Comentário(s)