Literatura em Foco - O que o Sol Faz Com as Flores

Por Janaína Guaraná

25 de junho de 2018


A aclamada escritora de Outros Jeitos de Usar a Boca, Rupi Kaur, volta com O que o Sol Faz com as Flores, uma coletânea de poemas arrebatadores sobre amadurecimento, cura e honra às raízes. 

É difícil transbordar em um texto sobre esse livro que carrega algumas das cicatrizes que a autora expõe em seus versos, usando a vida e morte de uma flor, temos a metáfora que vai te tocar de uma maneira sublime e pessoal. 

A voz da autora mantém a mesma força vista no livro anterior, principalmente quando fala sobre expatriação, feminilidade e ancestralidade. O ponto alto é a relação palpável do eu lírico da autora com a figura materna, em poucas palavras somos obrigados a lidar com um misto sentimentos. 

e se 
não houver tempo o suficiente 
para oferecer o que ela merece 
será que 
se eu implorar para os céus 
a alma de minha mãe 
pode voltar como a de minha filha 
para que eu ofereça 
o apoio que ela me ofereceu 
minha vida inteira 

Essa intensidade é sentida principalmente nessas passagens, quando a gente sente que uma parte da gente começa a fazer sentido, ou se perde e temos que lidar com um buraco incômodo que começa a crescer dentro de nós. 

Algumas das verdades que formam a poesia da Rupi é dolorosa, não cicatriza e está aí faz séculos, é um grito conciso e feminista, nos coloca próximas compartilhando o mesmo céu e os mesmos dias, distantes apenas culturalmente e cobertas por um viés ideológico que as vezes é mais forte em algumas. 

eu sou o resultado de uma reunião em que os ancestrais 
decidiram que alguém precisava contar essas historias 

O sabor amargo na boca se dissipa conforme a leitura vai evoluindo, como se realmente florescêssemos como no livro, uma ponta de esperança brota em nós e que apesar das feridas, desafios, e sonhos perdidos, em algum momento elas cicatrizam e a gente se encontra.
Comentário(s)
0 Comentário(s)