Conheça: Troy - A Fall Of a City

Por Alvaro Luiz Matos

21 de abril de 2018

Eu realmente gosto desse tipo de história, sempre fui apaixonado pela série Spartacus (Starz), amei Roma (HBO) como poucos e provavelmente sou um dos maiores fãs de antologias épicas que vocês possam conhecer. Entretanto, isso não me faz ter filtros mais brandos, muitas vezes até assisto algo ruim (como Marco Polo) na esperança de que fique bom, mas não sou facilmente enganado.

Em resumo, a Netflix procura desenvolver obras para todos os públicos, desde lançar séries com diferenciais, até lançar séries com temas redundantes para ter em seu catálogo aquele tipo de produto. A ideia é depender cada dia menos do que é desenvolvido fora para promover e desenvolver seu próprio conteúdo. Com isso a Netflix passou a apoiar e comprar projetos não tão bons e a máxima de que tudo o que o serviço de streaming lança é bom, ficou para trás.

Já fazia algum tempo, por exemplo, que a Netflix tentava um produto nesse molde de Troia, e ela apostou muito dinheiro na já citada Marco Polo, uma produção gigante, uma história menos óbvia e menos repetida, mas que por roteiro e narrativa, acabou sendo um bom fracasso (o que justificou o cancelamento ao fim da segunda temporada).

Dessa forma, Troia é a tentativa mais simples, na verdade trata-se de um produto britânico, da BBC One, produzido com menos recursos. A produção carrega um nome que já foi usado em várias obras e ainda criou um burburinho por dar à personagens já consagrados, novas etnias. A série chegou chegando.

Mas ela simplesmente não entrega, e se, Marco Polo era lenta, Troia se apega na já batida história para ter episódios de uma hora que se resumiriam em vinte ou trinta minutos. Muitos diálogos não fecham arcos, muitos arcos não possuem uma amarração interessante, alguns personagens possuem o perfil bem definido, mas não convencem por pouca profundidade e Alexandre, bem, esse troiano não tem muito carisma não.

Se a história deveria girar em torno de um amor arrebatador, o romance fica um pouco de lado na segunda parte da temporada, perdido em segredos desnecessários. Houveram alguns episódios mais empolgantes, mas a jornada não foi tão linear e isso atrapalha muito a fluidez da obra, o roteiro é mal escrito, os diálogos são pedantes e lá no último episódio a obviedade fica tão grande e a série entrega tão pouco que você praticamente perde a volúpia de assistir.

Talvez não seja a hora, mas gostaria de fazer uma comparação. Alguém aqui se lembra de True Blood? Uma série de vampiros da HBO? Assisti a série até o penúltimo episódio da última temporada e nunca retornei para acabar simplesmente porque eu já não aturava mais, só queria ver o fim e no fim nem isso eu quis mais. Bem, Troia só teve oito episódios e o seu season finale foi o mais duro e demorado para assistir, mesmo com a épica guerra dentro dos portões da cidade.

Vale lembrar que de todas as histórias, essa é a mais angustiante, pois não possui um minuto em que o “lado bom” vence ou se dá bem. É um show de desventuras que misturada com a qualidade duvidosa da série te faz terminar a temporada com uma sensação de “nunca mais”.
Comentário(s)
0 Comentário(s)