Torneio De Animes - Dragon Ball GT Vs Dragon Ball Super (Parte 1)

Por Alvaro Luiz Matos

31 de março de 2018

Você é fã de torneios? Gosta de decidir quem é melhor, ver uma batalha interessante acontecer? Bom, para começar e justificar o nome dessa coluna, nada mais correto que falar de Dragon Ball, ainda mais se falarmos de duas temporadas que se sobrepõem.

É isso mesmo, teoricamente os dois animes, Super e GT, ocupam o mesmo espaço. Então faremos o nosso próprio confronto para definir um detalhe simples: Qual é a melhor.

Para deixar justo o nosso primeiro torneio de artes marciais, digo primeiro torneio de animes, farei uma divisão básica, cada um será dividido em quatro grandes sagas, quatro grandes posts (um por semana), até porque, a versão super tem muito mais episódios e por isso, sem essa divisão, teríamos um torneio injusto.

Portanto teremos as seguintes times:

DRAGON BALL GT
1 – Viagem pelo Universo
2 – Baby 
3 – Super 17
4 – Dragões Malignos

DRAGON BALL SUPER
1 – A Batalha dos Deuses
2 – A Ressurreição De Freeza
3 – Goku Black
4 – O torneio do poder

Após rever diversos episódios e uma extensa pesquisa de campo, vamos direto para as batalhas.

Viagem pelo Universo (GT) x A Batalha dos Deuses (Super)

Geralmente as primeiras sagas são muito mais introdutórias e procuram dar início a um grande processo de descoberta de um novo “mundo”.  Em Dragon Ball GT as coisas são ainda mais novas, pois toda a temática mudou, Goku se tornou uma criança e as novas Esferas do Dragão se espalham pelo universo. Muito tempo se passou e vimos Goku viajando com Trucks e Pan, enquanto diversos personagens são simplesmente esquecidos. Os traços mudam, a tonalidade da tela remete a um mundo muito mais obscuro, sempre com muita sombra, tons avermelhados e a sensação de que está tudo sempre no final.

O maior ponto positivo, a meu ver, nesse novo DGB que se apresentava, era sua abertura, que na versão nacional, carregava uma linda letra cheia de nostalgia que já justificava um Goku criança. O desenho queria trazer de volta o personagem que todos éramos fã em nossa infância.

Entretanto, isso não se sustenta no momento em que personagens importantes para a história da série foram apagados do roteiro e  outros foram pouco ou mal mencionados. A saga é totalmente fraca, muito pastelona, e sem muita justificativa para ser, era apenas um Goku e a turminha do barulho passando por poucas e boas.
Já a Batalha dos Deuses, em Dragon Ball Super, não deixa de ser bobalhona, em alguns momentos um anime muito mal desenhado, mas uma introdução muito mais eficaz e com um propósito maior que procura ampliar os horizontes do roteiro. Quando em GT visitamos novos planetas, a pretensão é mostrar os perigos do universo; em Super a ideia era dizer que nossos personagens eram parte de um universo que possuía um Deus, muito acima dos senhores Kaio, forte e dono da destruição.

Foi aqui que, com a união de poderes Sayiajins, Goku chegou a se tornar um Deus, alcançando uma nova transformação. Embora bastante diferente, não é a transformação mais bonita, tudo aqui é também muito infantilizado, e os traços não remetem a um guerreiro destemido.

Embora sejam as sagas mais fracas de ambos os desenhos, com toda certeza DGB Super já se mostra muito melhor, muito mais próxima do que acreditávamos ser nosso anime favorito. 
Comentário(s)
0 Comentário(s)