This Is Us - 2x14 - Super Bowl Sunday

Por Janaína Guaraná

13 de fevereiro de 2018


Os momentos que celebramos aqui, a risada antes de ir para o trabalho, o café da manhã com quem amamos, as discussões, aqueles poucos momentos antes de nos darmos conta que estamos realizando um sonho, os poucos segundos que separam uma vida que tínhamos da vida que teremos agora. São detalhes, microssegundos que se tornam marco, são momentos agudos gravados na pele, que limitam quem somos e quem poderíamos ser. 

A morte é consequência natural de estar vivo, é um mistério que povoa o imaginário humano, os momentos que vivemos antes dessa fatídica consequência ganham cores e tons próprios, como se antes tudo fosse possível e agora com o fim decretado, tentamos guardar e preservar a companhia de quem se foi, o último momento, conversa, a última gentileza. 

Não tenho nenhuma experiência vivida para falar da morte, mas a dor latejante que sentimos com uma mínima possibilidade, nos faz pensar em o quanto estamos preparados para tal acontecimento, a vida vivida até então é digna de permanecer na memória dos nossos? A gentileza e amor que dedicamos é suficiente para nos manter vivos mesmo depois de partimos? Para o Jack, foi suficiente, a vida vivida está eternizada nos filhos, esposas, amigos e conhecidos. 

O conforto da partida é contrapartida amenizado (se é que pode amenizar tal coisa) com os momentos, ensinamentos dedicados ao longo da vida, com a esperança de alcançar o décimo de ser quem a pessoa foi. Como se pudéssemos honrar com nossos feitos essa pessoa tão especial que se foi, mas que continua presente em nós. É aquele relance que vemos quando nossos filhos nos orgulham, como se a influência da pessoa não tivesse acabado naquele dia. 

Por que a vida tem dessas coisas, nos leva, mas também nos traz. Nos permite viver dez minutos que nos marcam pela vida, conversas que lembramos muitos anos depois. E This Is Us, celebra a vida cotidiana, aquela que eu e você vivemos, sem muito glamour e mansões, a ida à padaria com os irmãos, o almoço em família, sonhos desfeitos, amores que não vingaram e coisas como tristezas, dores, lágrimas e perdas estão nos nossos caminhos, por mais imperfeitos que sejam.
Comentário(s)
0 Comentário(s)