Em Foco no Oscar - Lady Bird: É Hora de Voar

Por Juliana Pereira

2 de março de 2018

Confesso que quando li a sinopse do filme não fiquei muito instigada de ver, pois me parecia algo bem clichê. E eu estava certa. 

Mas calma, nem sempre o clichê é ruim. E acredito também que esse filme vai afetar você conforme a história de sua adolescência. Eu sei que tudo na vida nos afeta conforme as nossas experiências pessoais, é óbvio, mas a adolescência é algo muito particular assim como a relação com nossos pais, que são a nossa base pra tudo. 

No meu caso, tive alguns problemas de relacionamento com a minha mãe, mas ela sempre me criou dizendo “filhos a gente faz para o mundo”, ou seja, eu sempre tive liberdade de ser uma “Lady Bird”, ao contrário de Christine. E sempre tive uma relação com meu pai muito parecida com a que é mostrada na trama. 

Por isso, em alguns momentos eu senti raiva da personagem principal por ela ser tão ingrata, ao mesmo tempo que critiquei mentalmente algumas atitudes da mãe de jogar na cara da filha o que nada mais é que sua obrigação (claro, no meu ponto de vista). E ao contrário do que algumas pessoas dizem, eu não achei o filme engraçado, pra mim é bem drama mesmo. 

Eu gosto quando os lugares fazem parte do elenco, como no caso de Lady Bird, em que Christine tem uma relação de amor e ódio com sua cidade. E acredito que as personagens têm uma boa chance de levar algumas estatuetas para casa pois as interpretações estão impecáveis. Muito reais! 

É uma história muito bonita, real e linear. E por último e não menos importante: É um filme dirigido por uma mulher,Greta Gerwig, e acredito que por isso seja algo tão verossímil. 

Vamos aguardar o Oscar!
Comentário(s)
0 Comentário(s)