Netflix And Chill - Cuba e o Cameraman

Por Alvaro Luiz Matos

28 de janeiro de 2018

Abrir a mente é quase que obrigação, mas como, de que forma e porque, será sempre uma surpresa. Às vezes uma grata surpresa, outras não tão felizes assim. 

Na vida aprendemos errando, acertando e sempre tentado, mas podemos também aprender lendo, assistindo, interpretando e observando. Cuba e o Cameraman, foi um dos maiores ensinamentos que tive em 2017 e que resolvi rever poucos meses depois, já em 2018, mas que agora, resolvi retransmitir o que esse documentário fez de tão incrível em minha mente.

Qualquer um que me acompanha por aqui sabe o quanto sou politizado, sendo minhas teorias corretas ou não, tento ponderar sobre um país e uma sociedade melhor. Mas esse documentário me mostrou outro prisma sobre Fidel Castro, outra visão de Cuba, mostrou como o socialismo desmoronou, como os embargos destruíram com uma nação inteira e como o capitalismo voltou a Cuba, país que, hoje, vive do turismo.

Mas não pense que vim até aqui criticar ou o socialismo ou o capitalismo, que vim chamar alguém de comunista, ou outrora a outra parte de fascista. Vim mesmo é elogiar o enorme trabalho do cameraman Jon Alpert que por décadas viajou a ilha de Fidel e mostrou a melhora inicial que o socialismo deixou em Cuba, assim como também aquele desmoronamento que transformou o país em um dos lugares mais perigosos do mundo para se viver e por fim a recuperação daquele país.

Para isso Jon acompanhou famílias, que de anos em anos tinham suas vidas totalmente mudadas, por um país em constante colapso. Desde senhores camponeses que viviam de suas atividades no campo e mesmo assim colaboravam com a revolução, até aquela menininha que se tornou mãe cedo e se mudou para os EUA com sua família, passando por um empreendedor nato que em qualquer lugar do mundo teria sido um enorme caso de sucesso.
Não tem muito como entrar na história, seriam spoilers imensos, mas tem como deixar aqui o sentimento que tive com esse documentário, e com o fato de ser a melhor coisa que já assisti na vida. Tudo o que pude absorver, me fez chorar e agradecer pelo que tenho na vida, me fez repensar a demonização do socialismo e criticar todas as sansões que a ilha de Cuba sofreu, causando perdas irreparáveis para aquela sociedade.

Talvez você até pense diferente de mim, mas uma coisa é certa na vida: nós aprendemos à medida que repensamos o que achávamos certo por definição, nós aprendemos questionando-nos sobre nossas certezas e só assim percebemos que “só sabemos que nada sabemos”.

Curta esse documentário e volte para deixar sua impressão.

Comentário(s)
0 Comentário(s)