Literatura em Foco - Romancista como vocação

Por Janaína Guaraná

12 de janeiro de 2018


Hoje é aniversário do autor japonês que deu voz a uma geração. Haruki Murakami celebra mais um ano e nós resolvemos escrever esse textinho para comemorarmos juntos.

                         “... muitas pessoas odeiam institivamente aquilo que não conseguem compreender, (...) 
                        o diferente é um alvo a ser abominado. Pois a nova expressão pode destruir até o chão                                                                                                                                             que elas pisam."

Romancista como vocação, publicado pela Alfaguara, conta com a linguagem fluida do autor, Haruki nos mostra como é e foi sua vida, antes e durante de se tornar escritor. Em declarações simples, é dito que não tem receita, tem dicas de como serviu para ele, mas para você pode ser diferente. 

Sobre as dificuldades que marcaram o início da carreira, sobre as crises de um rapaz que não queria pertencer ao sistema, que queria fazer seus horários, seus gostos, uma declaração etílica de como viver a vida. 

Nos versos, são discutidos o valor da literatura, passagens e detalhes da vida pessoal se entrelaçam como um único elo, que levou anos para ser notado. Haruki é mágico nas palavras, nos momentos e nas histórias como se ser escritor fosse questão de tempo para ele, aqueles que nascem com o dom escrito em cada fibra do próprio ser e com o tempo não consegue guardar dentro de si e precisa compartilhar com o mundo.  

De prosa solta, torcemos pelo escritor em cada verso que lemos, nas dificuldades, na vida pessoal e principalmente nos seus contos. Haruki nos faz crer, (ele chamaria de técnica, mas eu, que brinco com a poesia das palavras) na mágica inerente das palavras, na capacidade de transformar momentos, de encher o dia de possibilidades e criar histórias como quem escreve para a posteridade.
Comentário(s)
0 Comentário(s)