Literatura em Foco - A Guerra que Salvou a Minha Vida

Por Janaína Guaraná

25 de janeiro de 2018

imagem disponível em:http://dezoitoemponto.com/2017/04/03/a-guerra-que-salvou-a-minha-vida-resenha-recomeco-e-destruicao/

Na Londres prestes a ser invadida pela guerra e todas as suas inúmeras consequências, duas crianças estão prestes a embarcar na história que selará seus destinos. Ada, aparentemente 9 anos e um pé torto que é motivo de uma vida em cárcere e agressões grátis. Jamie, aparentemente 6 anos, uma vida nas ruas que termina a noite na cama com a barriga se revirando para a fome, uma guerra prestes a começar e outra iniciada há anos dentro da cada, da Ada e do Jaime. Filhos de um pai morto e uma mãe que não os queria, uma mãe que vive os dias na dureza do trabalho e entre as agressões sem motivos aos filhos. 

O ataque alemão é iminente, as famílias começam a mandar as crianças para o interior com o intuito de mantê-las protegidas de supostos bombardeios. Ada que não consegue descer a escada sozinha, vinha treinando secretamente para esse momento. No meio da noite com seu irmão, saem com destino à escola, onde as crianças pegarão o trem para o interior. Chegar até a escola é um desafio particular para a Ada, que nunca saiu das paredes que a cercava e principalmente suportar a dor de andar com um pé torto não tratado.

No caminho para o interior Ada enfrenta dilemas da própria existência, descobre coisas que não sabia que existia e se depara com crianças bem cuidadas e oposto da imagem que ela própria reflete no espelho. Mas, a vida é feita de pessoas que travam uma batalha diária, e em um desses caminhos colocam pessoas para que as batalhas diárias sejam mais brandas, já que temos com quem dividir. É quando nessa história, conhecemos Susan. 

Susan enfrenta os próprios problemas e não se sente capaz de cuidar de duas crianças, mas diante da insistência aceita ficar com Ada e Jaime. É quando uma nova história começa. Uma história de cuidado, proteção e inspiração, mesmo fazendo pouco Susan é uma mãe que eles nunca tiveram, é um conforto que eles nunca imaginaram, é quem deixa a Ada sair na rua, montar o pônei e é quem leva a Ada no médico. Um pé torto que poderia ter sido tratado enquanto bebê, são duas crianças que deitam para dormir sem fome e limpas, é uma mulher perdida na própria dor e solidão que encontra novos motivos para continuar vivendo. 

Tudo isso se passa com a segunda guerra mundial em pano de fundo, as privações, os toques de recolher, as sirenes de bombardeios, a escassez de alimentos, os espiões e o inverno. Em paralelo, as guerras pessoais, a grande guerra toma forma, mas nesse livro apesar da destruição alemã, das crises e desalentos pessoais, duas crianças tiveram uma nova chance, nesse livro a guerra é a da Ada e o mundo que ela descobriu que existe. 

Algumas feridas nunca se curam, viram cicatrizes altas que sempre sentimos, mas o futuro é um história que ainda não foi contada e às vezes, guardam mais supresas do que esperávamos.

Da autora Kimberly Broubaker Bradley, A Guerra que Salvou a Minha Vida, foi publicado pela DarkSide em 2017. Vencedor do Newberry Honor Award e primeiro lugar nos mais vendidos do New York Times.
Comentário(s)
0 Comentário(s)