Grey's Anatomy - 14x09 - 1-800-799-7233

Por Rozany Adriany

22 de janeiro de 2018


Que episódio foi esse, gente? Primeiro de tudo, aos que pensavam que a série estava morta, preciso dizer: Grey's Anatomy está vivíssima, meus amigos! Se tínhamos alguma dúvida após uma 13° temporada quase que completamente ruim, essa 14° temporada está cada vez mais conseguindo jogar toda essa dúvida para escanteio a cada episódio.

Quem lê minhas reviews sabe que não sou fã número 1 da Jo, que já critiquei muitas de suas atitudes, principalmente em todo o plot da quase prisão de Alex na temporada anterior, e minhas opiniões sobre aqueles acontecimentos não mudaram, mas gente, meu coração ficou completamente apertado e solidário à personagem neste episódio, e não houve, até então, personagem mais odiado do que esse Paul (Ok, sou capaz de fazer uma singela lista de odiados, mas Paul está em primeiro lugar, definitivamente).

É impossível não parabenizar a atuação da Camilla que foi simplesmente maravilhosa. A personagem conseguiu passar todo o trauma e angustia causados ao reencontrar-se com seu ex-marido abusivo. Foi sensacional, causou arrepios e uma verdadeira repulsa ao Paul. Definitivamente, agora consigo enxergar Jo com outros olhos e realmente espero que após o desenvolvimento deste plot (que, pelo visto, está um pouco longe de acabar), a personagem consiga seguir em frente e seu relacionamento com Alex avance. 

Aliás, outros dois personagens que merecem todo o respeito são Meredith e Alex. Mer foi simplesmente maravilhosa ao apoiar Jo e dar-lhe toda a força necessária para lidar com a situação, assim como Alex foi um verdadeiro parceiro ao preocupar-se e tentar protegê-la de toda forma assim que percebeu que Paul estava no hospital. 

Uma das coisas que mais acho incríveis na série, e isso é desde as primeiras temporadas, é que os produtores conseguem tratar de temas totalmente relevantes, que devem ser debatidos pela sociedade, como é o caso deste plot da Jo e os traumas causados ao estar em um relacionamento abusivo; como o desgraçado consegue manipular e controlar a vítima, como foi mostrado através da noiva, e como faz de tudo para deprecia-la; além de tocar em assuntos como a transsexualidade, através do interno que ajudou Bailey a recuperar o hospital dos hackers, este sendo apresentado de forma mais sutil e normal, como realmente deve ser; ao mesmo tempo em que são apresentados outros plots mais leves que, no contexto geral, são capazes de balancear perfeitamente os 40 e poucos minutos de episódio. 

É essa capacidade de Grey's em mesclar sentimentos totalmente contraditórios em um único episódio que eu sempre admirei e são episódios como os que nos vêm sendo apresentados que não me deixaram desistir da série nos momentos mais complicados, por assim dizer, rs. 

Para finalizar, não posso deixar de reclamar da insistência em "Jagger", como estão chamando o possível casal. Acredito que essas cenas deles dois apenas de toalha foram esquecidas de serem deletadas do episódio porque foram simplesmente desnecessárias!  

Ps1. Ah gente, preciso falar: não se fazem mais internos como antigamente, não é mesmo? rs (Saudades eternas, MAGIC!) 
Ps2. Amém, carinha aleatório do tinder que apareceu para nos salvar (temporarialmente) de Jagger. 

Até a próxima!
Comentário(s)
0 Comentário(s)