The Punisher - 1x12 - Home

Por Ana Silvia Soeiro

16 de dezembro de 2017

Parece que as séries estão aprendendo alguma coisa com países que têm um ou dois representantes da lei dispostos a fazer seu trabalho de maneira digna. A primeira cena do episódio é o depoimento de Frank sobre a tão falada operação Cérberus: algo escondido, operação ilegal, que tem gente do alto escalão, heróis nacionais, drogas e grana, muita grana. Te parece familiar? Mo-rou?

Billy está tentando fazer com que tudo dê certo, afinal de contas sua operação com o político no episódio passado foi um tremendo sucesso. Porque agora tudo daria errado? Basta fazer com que dois caras ferrados entrem em uma van, devolver uma família e tudo volta ao normal. O que Russo não aprendeu com os países pegos de surpresa e os caras que fazem tudo correto é que uma vez que a maré quebra a barreira, não dá para fazer tudo voltar. Ponto para Frank, ou quase, a situação dele não é das melhores.

Eu sabia que Frank Castle era maluco, mas em meio a todo aquele caos de tortura e pancadaria promovidos pelo poderoso chefão, também conhecido como Willians, chega a ser hilário os momentos de lembrança que ele tem da esposa e dos filhos. Para não dizer triste.
 
Madani acha que Frank e Micro pisaram na bola com ela por não deixarem que ela liderasse toda a operação de recuperação da família deste, mas Lieberman finalmente conta que o Justiceiro só está conseguindo para ela mais provas contra a operação Cérberus e para ele, bem está tentando conseguir mais dois corpos.

Russo define em minha opinião porque eu gosto da série: “Adoro ver você trabalhar”. Adoro mesmo ver Frank Castle trabalhar, Orange ou Willians agora sabem que pessoas como ele não são descartáveis, ferramentas, ou um “nada”. São lembretes de que fazer algo errado e tentar pagar de salvador da pátria é errado pra cacete! O episódio de hoje desperta em nós a vontade de lutar contra qualquer forma de corrupção, não com os punhos, mas com lisura e bom caráter. Obrigada por estar em casa Frank, te vejo no próximo Bill!
Comentário(s)
0 Comentário(s)