Cinema em Foco: Extraordinário

Por Ellen Joyce Delgado

19 de dezembro de 2017


Em um mundo tão dificultoso, seria egoísmo não fugir um pouco da realidade para vivermos um “e viveram felizes para sempre”. Na maioria das vezes, para concretizar esse ato, buscamos obras do nosso mundo cinematográfico. 

Nessa última semana, o cinema trouxe a estreia de um filme bem aguardado. Não cito aqui uma obra de primeira linha, mas falo de um contexto luminoso. Hoje falaremos do filme Extraordinário – e, acredite, para mim ele foi realmente extraordinário

O enredo começa com as dificuldades presentes na vida de um pobre jovem ao ingressar em uma escola. Seguindo a palavra “dificuldades”, o filme apresenta a realidade do protagonista, um jovem de 10 anos que já viveu grandes processos de adaptação e aprendizado, tudo isso por conta de uma deficiência provinda logo no seu nascimento. 



O pobre garoto já tinha sofrido inúmeras cirurgias plásticas, tentando ver-se como mais um cidadão “normal” para sua idade. Mal sabia ele que a grande maioria devia seguir seu exemplo de “normalidade”. Todo seu amedrontamento acaba se concretizando ao não poder continuar seu aprendizado escolar através de aulas particulares. 

A visão que o mundo trazia sobre ele era um fardo muito pesado para uma pobre criança. Ainda assim, o olhar daquele pequeno nerd – muito fã de Star Wars – e o conforto de sua família, acabava encontrando outras rotas de fuga e personificando uma criança que podia ser feliz, também . 

O filme me trouxe o equilíbrio entre dor e felicidade, malevolência e compaixão. O olhar indefinido de uma criança pode nos habilitar a isso. 

A obra realmente se trata de um contexto emotivo. E isso pode trazer muitas lágrimas e suspiros – fique tranquilo, você não será o primeiro, muito menos o último. O enredo literário original já trazia esse tipo de conjuntura, não era agora que a produção podia falhar. 



Dentro de todas as cenas, a produção soube separar um pouco os enredos e nos trouxe histórias aleatórias. Isso nos mostra que os problemas cotidianos não fincam-se em uma única pessoa. E, talvez, por essas dispersões, todo o filme se tornou ainda mais anexo. 

Os atores são pessoas que realmente merecem aplausos. Mesmo não sendo uma obra tão experiente, os personagens estavam sempre no seu devido enquadramento. Não é pra pouco... Já tínhamos sofrido um pouco com Owen Wilson no filme “Marley e Eu” e Julia Roberts que, em tantos outros filmes, nos enobrecia com seu afeto e amabilidade. Essas escolhas foram primordiais. 

Com todo seu carisma e compreendimento, o filme Extraordinário edificou bem sua mensagem central. É um dos filmes lançados em 2017 que mais me marcou. Para mim, este foi um bom filme e, com seu mérito, arranca algumas lágrimas daqueles emotivos que estiverem ali presentes. 

ELENCO: Julia Roberts, Jacob Tremblay, Daveed Diggs, Owen Wilson, Mandy Patinkin, Izabela Vidovic, Sonia Braga, Crystal Lowe, Millie Davis, Bryce Gheisar


Comentário(s)
0 Comentário(s)