This Is Us - 2x06 - The 20's

Por Janaína Guaraná

4 de novembro de 2017


Os 20 e poucos anos, quando tudo aparenta ser infinito, os amores, o tempo, o trabalho que não gostamos, tudo tem sua intensidade aumentada, a alegria e a raiva, os sonhos e as desilusões. A vida parece um verso sincero de alguns poucos sortudos, onde as rimas dos vinte e poucos anos, combinam com a delicadeza de quem atravessa os dias, sem olhar para trás.

O medo do desconhecido, a antipatia de um emprego nada empolgante e os prenúncios de um novo amor. Desde as grandes lembranças de quando éramos crianças, às lembranças embaçadas dos dias atuais, parece os desenhos em cores pastéis, onde os sonhos são realizados nas páginas de um clássico. A apatia dos vinte e poucos, é celebrar que a vida continua, que as boas lembranças nos dão fôlego para continuar. 

O mágico da vida é que algumas não chegam ao final, para essas coisas, a força que mantém corações pulsando, transformam datas especiais em memoráveis e encontros em verdades cortantes. Para todo momento de dor e dúvida, segredos e desencantamento, vivemos aqueles poucos segundos eternos, que nos lembramos para os resto de nossas vidas, feito tatuagem. 

This Is Us, é a composição perfeita de vida uma errante, errante porque nada é constante, as pessoas são livres e vivem essa liberdade de forma que vão de encontro aos seus sonhos, os presentes que a vida dá, nos marcam e nos enterram num dilema habitual de querer sempre mais. As pessoas que temos em nossas vidas, cometem erros e acertos, mas elas travam suas próprias batalhas, não podemos afirmar que sentem mais ou menos, pois elas sentem do jeito delas. Alguns sonhos ganham lugar na estante, outros na gaveta, a vida é essa composição básica, feita de sim e não, e mais importante apesar das pedras e dos espinhos, é clássico da vida não nos deixar sozinhos, mesmo que todos nossos poros gritem isso. 

Os versos escritos aqui, algumas vezes rimam e nos fazem querer tatua-los em nossa pele, outras vezes nos fazem querer ser capazes de esquecer, como se nunca tivéssemos vivido, mas como recusar algo que te trouxe ao aqui e agora? Encontrar seu lugar no mundo tem sido os motivos das grandes canções antigas e dos manifestos atuais, e como se houvesse resposta, dizemos que esse lugar não é ano passado, duas semanas atrás, esse lugar é agora.
Comentário(s)
0 Comentário(s)