Cinema em Foco: Thor - Ragnarok

Por Ellen Joyce Delgado

3 de novembro de 2017


O apocalipse ao mundo Asgard chegou. E junto dele, temos a participação do incrível Hulk! Digo, do incrível Thor – e um pouco também de Doutor Estranho, o qual ainda vejo como Sherlock! (rs). 

Brincadeiras a parte, o fim do mundo realmente chegou e preciso mesmo falar sobre isso aqui para vocês. Vale a pena conferir! 

Thor: Ragnarok é a sequência dos caminhos tomados por Thor. A sinopse desse longa inicia-se com o aprisionamento do incrível herói asgardiano em um longínquo planeta. Para ter-se uma noção da distância média entre seu universo e aquele o qual o submeteram como nova moradia, estima-se uma viagem de 18 meses para a chegada de um polo ao outro. 

Ao ver-se aprisionado, sente que seu povo grita por socorro, e claro que era dele que a grande maioria precisava. A destruição de sua terra natal trazia o fim de toda uma nação. 

Tudo começou com o poder de uma nova rainha, chamada Hela – também sua irmã. Em uma luta inicial com a mesma, Thor perde seu incrível martelo e, desde já, sente que não pode ser mais nada sem o mesmo. Ao fim da batalha, ele é jogado para um túnel, o qual o leva à essa outra nação – corram para o cinema para descobrir o nome desse túnel! (rs) 



Neste novo lugar, ele é usado como um soldado para lutas banais. Para um melhor entendimento, tive uma visão “Jogos Vorazes”. Algumas pessoas são usadas para batalhas de gladiadores e, aqueles que vencem as batalhas, são os mais aclamados pelo povo. Spoiler mediano: logo na primeira – e única batalha – temos nosso querido Hulk lutando contra Thor. 

Enquanto toda essa crise existencial acontece no ambiente “Jogos Vorazes”, Hela, a deusa da morte, detém todo o poder do reino Asgard. Seus poderes são vastos e suas habilidades são únicas. Com toda essa primeira impressão deixada pela mesma, poucos desse mundo tornam-se seus rivais. Aqueles que contra ela determinavam-se, logo aprisionam-se nos mais escuros retiros de Asgard. 



A produção da Marvel continua entretendo seu público. A trilha sonora ainda é usada como fonte de originalidade e, ao mesmo tempo, ligações célebres entre grandes produções. Mesmo diante de sonoridades exclusivas, o longa trouxe sons como “Pure Imagination”, o qual é muito conhecido como o tema principal no filme “A fantástica fábrica de chocolate”. Também temos sons impreteríveis, como “Immigrant Song”, da banda Led Zeppelin. 

A forma contextual da produção não é algo para se levar ao pé da letra. É um filme com ótimas diretrizes, mas que serve bem mais para te fazer sorrir. Todo seu desenvolvimento vale muito a pena conferir e serve como uma ótima válvula de escape para os ansiosos expectadores do universo Marvel diante a produção mais aguardada: Guerra Infinita. 

Doe um pouco do seu tempo e corra para ver o desfecho dessa história!

Data de lançamento 26 de outubro de 2017 (2h 11min) 
Direção: Taika Waititi 
Elenco: Chris Hemsworth, Tom Hiddleston, Cate Blanchett (...)
Gêneros Ação:, Fantasia, Aventura, Ficção científica 
Nacionalidade: EUA

Comentário(s)
0 Comentário(s)