Literatura em Foco: A trilogia de 50 tons

Por Rozany Adriany

4 de outubro de 2017

O terceiro filme baseado na trilogia de Cinquenta Tons de Cinza está para ser lançado em fevereiro do próximo ano e como os meses estão passando voando, resolvi falar um pouquinho sobre os livros da série para aqueles que ainda não conhecem, quem sabe vocês não conseguem ler a história antes de irem ao cinema em fevereiro, não é?

Quem não lembra de toda repercussão que os livros dessa trilogia tiveram logo que foram lançados em 2011? Eu, por exemplo, lembro que demorei muito para sequer pensar em lê-los devido à inúmeros comentários do que o livro era "pornográfico" demais por tratar de temáticas que a maioria das pessoas têm receio em falar, como o sadomasoquismo, por exemplo.

Porém, em certo momento, ao ver algumas amigas comentando sobre eles, acabei me "permitindo" lê-los e devo dizer que a ideia que me foi inicialmente passada foi totalmente desconstruída. O que eu assimilei da história de Christian Grey e Anastasia Steele foi que vai muito além do que aqueles momentos no "quarto vermelho" ou dos "desejos obscuros" de Christian.

É claro que há momentos em que avaliamos a história e percebemos que nos deparamos com um certo clichê literário, afinal, se vocês já tiverem lido outros livros do mesmo gênero, sabem que, embora em contextos diferentes, a situação onde os protagonistas são um homem bem sucedido (no caso de Christian, um empresário milionário) e uma mulher mais "inocente", quase sempre mais nova e sem um status financeiro favorável (no caso de Ana, uma universitária recém-formada) é algo normal. E o enredo segue, quase sempre, da mesma forma: a mocinha logo está perdidamente apaixonada pelo cara, enquanto ele demonstra uma resistência maior, mas também acaba se apaixonando, e por aí vai. 

Não me levem à mal, embora eu acredite que os autores (ou autoras) poderiam dar uma inovada na história e no enredo que envolve esse gênero literário, gosto das histórias e das reviravoltas que vez ou outra acontecem nelas. Sou dessas românticas incuráveis que se apegam às histórias em que os protagonistas vivenciam um amor desses que ultrapassa qualquer situação, por mais que o contexto geral seja meio surreal e ficcional a ponto da gente saber que isso não existe na vida real, rs. 
E sim, para mim, toda a história que envolve a trilogia de 50 tons tem muito romantismo, sim senhor! Muitos pensam que a história se baseia apenas nos momentos mais "calientes" que Christian e Ana compartilham, mas os livros não são só isso, gente! Se eu tivesse que escolher o mais "obscuro" de todos, eu diria que é o primeiro... Isso porque, no primeiro, Christian é um homem totalmente fechado, por isso, não descobrimos muita coisa sobre o personagem além do fato de que ele construiu um "império" do zero, que ele tem alguns problemas de confiança e que tem gostos bastante peculiares, como o próprio fala. 

Porém, quando passamos ao segundo e ao terceiro livro, adentramos bem mais na história dele, uma vez que ele se abre mais para Ana, contando de onde veio, o que aconteceu em sua infância e em sua adolescência, assim como o que o levou a entrar no mundo do sadomasoquismo, e como ele vai se afastando desse mundo por causa de seu amor por Ana. Além disso, é a partir do segundo livro também que Christian passa a demonstrar mais seu amor por ela, ou seja, se no começo de tudo o que ele queria era tê-la como sua submissa no contexto do sadomasoquismo, ao se envolver com Anastasia tudo muda para ele e, a partir do segundo livro já não se trata mais de tê-la obedecendo todas as suas ordens, e sim de tê-la ao seu lado e ama-la, até porque, se tem alguém que definitivamente não acata as ordens de Grey, é a Srta. Steele. 

Então gente, a história é bem legal, além das partes "eróticas" que sim, fazem parte da história, também temos algumas reviravoltas, temos confusão, brigas, muito romance, algumas situações bem divertidas, e um final feliz como é de praxe em praticamente todo romance literário. Ah, e se ao lerem os três livros vocês acharem que ainda não tiveram uma dose suficiente de 50 tons, a autora lançou mais um livro chamado "Grey" que é basicamente a mesma história de 50 Tons de Cinza, mas na visão de Christian, e já prometeu lançar também os outros dois também na visão dele, então, é mais um bônus para nós, leitores e leitoras. 

Ps1. Eu, particularmente, adoro quando lançam uma versão do livro na visão de algum outro personagem da história, porque me dá uma perspectiva diferente da história e isso é bem legal. E claro, a história, mesmo sendo a mesma, acaba não sendo 100% igual, afinal, há momentos em que os personagens estão em situações diferentes, então vale muito a pena acompanhar!
Ps2. Foquei nos livros, mas a história foi adaptada para o cinema e já saíram os dois primeiros filmes (50 tons de cinza e 50 tons mais escuros) que, embora não sejam tão bons como os livros, não ficaram ruins e são bem legais de ver, rs. O bônus são os protagonistas Jamie Dornan e Dakota Johnson interpretando Christian e Anastasia!


É isso, até a próxima!
Comentário(s)
0 Comentário(s)