South Park - 21x1 - White People Renovating Houses

Por Alvaro Luiz Matos

24 de setembro de 2017

Vivemos em um momento sócio político “nunca antes” vivido no mundo inteiro. Eminentes guerras, presidentes virando heróis, outros carrascos, movimentos nazistas, movimentos liberais, direita, esquerda, extremistas e tudo o que mais se tem de direito. O caldeirão está fervendo e acompanhar essa ebulição é quase que um dever (se não fosse pra mim um prazer).

South Park é símbolo da crítica sócio política que de vez em sempre se torna vexatória, mergulhada entre o risível e o ridículo. Portanto resolvi voltar a assistir essa temporada que se inicia, mesmo com pouco tempo no meu dia a dia, afinal, entender e debater é, repito, um prazer.

O exagero sempre foi eficaz quando o assunto é expor o ridículo, e foi assim que South Park fez diversas críticas em seu primeiro episódio. O primeiro deles ao direito de protesto que permitiu e permite atos risíveis como o que ocorreu em Charlottesville; o segundo quando ironiza a sensação de que a tecnologia rouba os empregos das pessoas, afinal, é extremamente patético Jimbob, Darryl e companhia substituindo Alexa. Já o terceiro e não menos assertivo da conta dos programas de reforma, sempre redundantes (além é claro de se utilizar do nome ”gente branca” pra novamente citar os movimentos neonazistas).
Saindo um pouco da visão crítica e indo um pouco para o lado pessoal, só eu fiquei com dó da namorada do Cartman? Ela toda fofinha tentando dar o seu melhor e com conselhos ótimos e ele se magoando porque não escuta. 

É interessante como a máquina de observação do cotidiano funciona bem entre os roteiristas dessa série, afinal 20 minutos de episódio consegue apresentar críticas das mais variadas possíveis, acertar em todas e ainda abrir caminho para uma temporada que tem tudo para falar do momento ruim em que os EUA se meteu após eleger Trump.

Ansioso por cada episódio que virá, e vocês?
Comentário(s)
0 Comentário(s)