Primeiras Impressões: The Brave

Por Rozany Adriany

27 de setembro de 2017

A fall season começou e com ela, é inevitável não adicionar séries novas na grade, não é mesmo? Nós do Séries em Foco então, já estamos com a lista mais do que cheia de novas adições e, por isso, vamos contar para vocês ao longo das estreias quais foram nossas impressões iniciais sobre elas!

E a primeira delas é a primeira estreante da NBC, The Brave, que foi ao ar segunda-feira, dia 25. A série gira em torno de duas linhas de defesa: a inteligência dos EUA com base em Washington e os soldados do Grupo de Operações Especiais das Forças Armadas com base na Turquia, que coordenam estratégias para eliminar ameaças descobertas e interceptadas pela inteligência. 

O piloto da série prendeu desde os primeiros minutos, nos mostrando que ação e estratégia é o que não vão faltar a cada missão. Além disso, pelo que deu para perceber, a série terá um estilo procedural, onde cada episódio trará uma missão diferente, característico de séries policiais e/ou criminais como a franquia Law and Order, Criminal Minds, etc. E, vão por mim, não associem o termo "procedural" com algo ruim, desde já digo que, a partir do piloto, a série chegou com tudo!

No que diz respeito aos personagens, as duas equipes já passaram uma impressão muito boa, com integrantes de personalidade forte, carismáticos e que possuem uma relação firme, o que influencia positivamente no trabalho.

Considerações iniciais feitas, vamos à primeira missão que, ao meu ver, não poderia ter sido melhor, uma vez que serviu para dar o ponta pé inicial à série. A doutora Wells dos Médicos sem Fronteiras foi sequestrada na Síria chamando a atenção da inteligência que logo mobiliza a Vice-Diretora Patrícia Campbell e sua equipe para coordenar a operação desde Washington junto com o Capitão Adam Dalton e sua equipe do Grupo de Operações. Como falei logo no início, não demorou muito para que pudéssemos perceber quão tensa seria a situação e enquanto a equipe de Dalton se prepara estrategicamente a fim de informações para chegar até a doutora, os acontecimentos vão se desenrolando e nos deixando cada vez mais ansiosos. 
Não vou mentir que algumas coisas foram meio óbvias como, por exemplo, quando o refém usa a garrafa quebrada para obrigar Amir (que, até então, estava disfarçado para tentar descobrir a localização de Wells) a dirigir e leva-lo até onde queria. Tudo bem que isso mais ajudou a equipe e que a badass da Jaz mostrou que mulher poderosa é o que não falta nessa série, mas tava bem na cara desde o momento em que Amir "soltou" o cara, né? Assim como não foi muita surpresa descobrir o real motivo do sequestro da doutora.

Por fim, quando é revelada a intenção dos sequestradores, as equipes então se encontram em um embate meio que moral: será que é matar um dos terroristas mais procurados e salvar a doutora ao mesmo tempo? Ou será preciso sacrificar a doutora? E a equipe nos mostra que com eles não há essa de sacrificar ninguém! E o resultado final é simplesmente foda! Desculpem, mas não há outra palavra que eu possa usar, rs. 

Ah, e se você pensou que o final do episódio ia ser todo mundo comemorando a primeira missão bem sucedida, assim como a miga Janaína e eu que assistimos juntas, vocês se enganaram! E eu, obviamente, não vou falar mais nada para que vocês vão lá dar o play, descubram por si mesmos, e depois venham aqui comentar com a gente! Tudo o que eu sei é que a seriezinha foi adicionada com sucesso na grade e que já estou ansiosa pelos próximos episódios! 

Ps1. É normal já ter shipper nos primeiros 10 minutos da série? 
Ps2. Tô apaixonada por Adam Dalton, precisava desabafar (rs).
Comentário(s)
0 Comentário(s)