Netflix and Chill - Jerry Before Seinfeld

Por Alvaro Luiz Matos

23 de setembro de 2017

Todas as últimas grandes estreias da Netflix tiveram reviews no site ou até mesmo textos próprios, portanto aproveitei esse momento para tirar minhas férias tão desejadas. Mas vamos voltar para essa, que é a minha coluna favorita.

Assumo que até tentei voltar antes, mas quando olho uma avalanche de séries ou filmes que não me interessam sendo lançados, muito deles velhos e antigos, adiei ao máximo meu retorno. Mas Seinfeld? Ah não, esse cara é uma lenda e merece o meu mais breve retorno.

Pra deixar claro, para mim a sitcom que leva seu nome é a maior da história das comédias, ela deu início à muita coisa boa, abriu portas e serviu de influência para tantas outras que vieram a seguir. O comediante então nem se fala, embora simples em suas observações do cotidiano, sem muita preocupação em fazer críticas sociais e/ou falar do momento do país, ele consegue passar com naturalidade e com facilidade seus textos, fazendo do simples, seu melhor argumento, seu melhor mote para a comédia.
Não é só o tipo de piada, é o jeito com que o comediante entrega seus textos, a oratória, o tom de voz, e Seinfeld é muito bom no timming, na forma com que entrega as piadas, acertando nas pausas de seus textos, na hora de aumentar ou diminuir a velocidade do diálogo, aumentar e descer o tom. Ele é algo a ser estudado, e um exemplo para tantos outros que parecem forçados a estarem em cima do palco, aqueles que não possuem a naturalidade em que Jerry se apoia.

Seinfeld é casual, é simples sem ser simplório, é genial, uma máquina de observação da vida, um detalhista do cotidiano e é essa a essência da comédia, observar o que estamos apressados demais para perceber. Queria eu ter a genialidade e a facilidade de observar e aproveitar a vida como ele.

O show é tudo o que esperávamos, um tiroteio de piadas boas, uma após a outra, intercaladas com mini documentários, mini entrevistas e diálogos que servem para quebrar o ritmo e dar mais força ao texto produzido por ele. Vale lembrar que essa mania de quebrar o ritmo e dividir suas obras entre dois tipos diferentes de narrativas, sempre foi um atributo muito marcante na carreira do comediante. Utilizado por ele em praticamente todas as suas “obras”, praticamente uma assinatura.

Enfim, a minha paixão por comédia todos já perceberam, essa coluna virou quase uma crítica à show de stand-up, mas a minha empolgação nunca foi tão grande quanto nesse texto, e isso deve ter ficado bastante claro. Imparcialidade para que? Se a graça em ser crítico é exatamente expor aquilo que pensa. E para mim uma coisa é clara, eu amo Jerry Seinfeld. 

Deixo vocês aqui com essa frase, que parece simples, mas é carregada de boas energias: 

“O único reconhecimento que realmente importa é saber que sou valorizado pelo meu senso de humor” Seinfeld, Jerry.
Comentário(s)
0 Comentário(s)