Narcos - 3x05 - MRO

Por Ana Silvia Soeiro

2 de setembro de 2017



A repercussão da prisão de Gilberto é tremenda e dentro do Cartel a paranoia aumenta, Peña é um proscrito diante de todos aqueles que, com tanto afinco, tanto trabalho, dedicação e suor se dedicaram a fazer um lindo, brilhante e glamouroso acordo de paz com bandidos da pior espécie, a todo momento o agente é lembrado disso. Mas, recebe os parabéns de uma pessoa que, assim como ele, tem todos os motivos do mundo para odiar e desprezar os Narcos. É tudo que Peña precisa, alguém que pode dar um telefonema e ajuda-lo um pouco. Agora, nessa corrida contra o tempo ele precisa achar uma testemunha para ajudar na acusação de Gilberto. Simples, não? 

Obviamente nem passa pela cabeça de ninguém dentro ou fora do cartel que o avistamento e posterior prisão do chefe supremo tenha sido uma combinação de muito trabalho duro, sorte e a carreira de um homem decente. Então, neste episódio é bastante perigoso ser chefe de segurança do cartel. Jorge é um personagem que eu tenho evitado falar desde o primeiro episódio, na minha opinião, ele representa todo cara que se envolve com bandidos mas diz “é só por um tempo”, “não pego em armas”, “não seja violento”, mas está envolto na mesma lama podre que seus patrões, na verdade, sem ele os mesmos nem teriam a oportunidade de agir, até então, 100% nas sombras. Então, eu conto como bônus tudo o que ele e sua “equipe” estão passando.

Para fortalecer e apaziguar quaisquer ideias erradas a respeito da rendição do cartel com o governo, Gilberto pede que Miguel reúna-se com um sócio do Norte, mas, infelizmente para o cartel, Miguel não é nem um pouco igual ao irmão, não há sorrisos ou presentes nesta reunião, há apenas para o homem do Norte a certeza que, por parte do que restou dos “cavalheiros”, há incerteza e medo por toda parte, em novos e velhos rostos. No México, Pacho e o irmão precisam lidar da melhor maneira que podem com essa incerteza e o pior: com a certeza de que vão abandonar um negócio lucrativo em seu melhor momento.
No lado da corrida contra o tempo para encontrar testemunhas, Peña tenta de toda forma trazer a esposa do responsável por lavar o dinheiro do cartel para seu lado, é uma corrida e uma tentativa desesperada. Mas não é sempre assim em Narcos? Falando em desespero, Gilberto descobre através de seu filho que seu antigo trato cor de rosa com o governo mudou de cor: três anos de prisão para todos os “Cavalheiros” e outras “coisinhas mais”. Ai que episódio bom, minha gente!

Para finalizar, eu e minha boca grande teremos que pagar por ter falado e meus dedos escrito, tudo de ruim sobre Jorge, ele finalmente acorda para qual lado realmente está na história e faz um movimento ousado. Peña também encerra esse episódio com sua pitada de ousadia. Vamos que vamos!
Comentário(s)
0 Comentário(s)