Esquenta - This Is Us

Por Janaína Guaraná

10 de setembro de 2017


Todos os veículos de comunicação, emitiram suas opiniões sobre This Is Us, eu como amante das palavras que rimam, me encantei por essa: “As crônicas nasceram como se fossem tiras de representação da vida, que são impressas em periódicos e acabaram sofrendo uma mutação de gênero, indo parar em produções de TV [...] como uma caminhada até a padaria – mas que pode resguardar uma série de emoções catalisadoras que só um olhar apurado pode alcançar."(https://m.omelete.uol.com.br/series-tv/this-is-us/criticas/). É nesses pedaços de vida diária, aquela vida que eu e você vivemos diariamente, que This Is Us ganhou os meios de comunicações e de quebra levou nossos corações. 

Nesse mundo que lembra o nosso, se conta a história de pessoas que nasceram no mesmo dia, não são pessoas aleatórias, são pessoas possuem um grande vinculo. Não é uma simples história que ganha as telas, discute-se bullying, racismo, preconceito, autoestima, daquelas coisas bobas que vivemos nos nossos dias, como o medo de fazer algo errado, de estar no caminho errado, de começar de novo e das consequências que vem com qualquer decisão. 

Alternando as histórias no presente e passado, descobrimos que as vidas descritas seguiram e se encontram no agora, pode não ser o melhor momento, mas é onde estão. Talvez ao falar com franqueza da  simplicidade da vida, a sutileza dessa história, esteja nas lagrimas e nas risadas que fazem parte de toda boa história já contada. 

Esses recortes da vida que vemos em This Is Us, é tão visceral, porque carregam um quê de verdade. Mas, não podemos esquecer que é um show, que a vida pode ter essas nuances, mas a intensidade é nós quem definimos. 

This is Us volta dia 26 de setembro, e nós nos vemos aqui.
Comentário(s)
0 Comentário(s)