Chesapeake Shores - 2x04 - It's Always Nashville

Por Vittoria Crispim

15 de setembro de 2017

Querido leitor, como vai? Espero que bem. Vem cá me acompanhar na quarta review dessa temporada de Chesapeake. Temos alguns assuntos a debater aqui. 

Primeiro gostaria de chamar a atenção para as duas rainhas do episódio: Bree e Jess O'Brien. Essas duas estavam fora de série neste episódio e por diversas vezes tive que apertar o pause para gargalhar com as trapalhadas da Jess e rir das desventuras da minha querida loirinha. Que agora tem um pretendente amoroso graças às trapalhadas da irmã mais nova. Espero que esse plot seja mais proveitoso para a Bree que o Martin e o faz tudo da Jess. Ela merece um amor pra chamar de seu. 

"Uma de nós tem que parecer louca e você é a fofa." - Jess O'Brien (para a Bree) 

Eu, como leitora assídua que sou, amante de livrarias e seu universo particular, fiquei extremamente feliz em ver essa paixão retratada na vida da Bree e quando, no episódio passado, houve a revelação de que agora ela seria proprietária da livraria da cidade, não esperava que seria tão divertido ver a nossa romancista numa outra função. E só para marcar as altas emoções que viriam dessa história, Bree já recebeu uma chamada do pai antes mesmo de tomar café da manhã. Detalhe para o fato que nenhum filho, na idade que for, na profissão que tiver, está livre de ouvir seu nome completo antes de uma bronca. 

Eu já havia comentado em reviews passadas em como queria mais a aparição dos irmãos na série, fico feliz que meu pedido está sendo atendido. Tanto o Kevin quando o Connor estão aparecendo muito mais que na season anterior e cada vez mais a aparição deles ganha uma importância significativa no enredo da série. Seja como peças adicionais para completar os 43 minutos de série ou com um plot mais elaborado como o (possível) TEPT do Kevin ou os problemas do Connor com a nova carreira e sua identidade no mundo. 

Para os dois, neste episódio tivemos apenas um enredo leve: Kevin e sua bombeira, que está sendo uma trama bastante agradável e o Connor dando uma de Connor e dando uma de conselheiro amoroso. E sério, não há pessoa melhor neste mundo do que o Connor. Eu não sabia se ria ou ficava com dó do fora que ele levou da bombeira na Sally.

"Ela não gostou de você" -Kevin 
"Aí está a vantagem, ninguém gosta de mim na primeira impressão" -Connor 
"Nem na segunda, terceira ou quarta" -Kevin

Coitado! Eu gosto de você, Connor! 

Tivemos uma surpresa agradável neste episódio. Ao que aparenta, a Leight não vai incomodar por muito mais tempo. Ao voltar à Nashville, o Trace recebeu a notícia do produtor que quer apenas ele no álbum. Eu, torcedora da Abby, fiquei bem feliz com esse anúncio, todavia, não tenho certeza se o Trace Riley abandonaria sua parceira de banda tão fácil assim e não sei se ele levaria o projeto para frente com essa nova revelação. O que nos resta agora é aguardar mais episódios e torcer pra Leight (ou contra ela). 

A Abby que está realmente incomodada com essa nova fase na vida do Trace talvez aceite melhor agora sabendo que a ex-namorada do seu atual pode ser uma (possível) página virada. 

E falando na Abby, é bem provável que a atriz comece a aparecer cada vez menos em frente à tela ou que suas cenas sejam um pouco mais desfocadas, como a atriz sentada ou aparecendo apenas o rosto e o torço, já que recentemente foi noticiado que a Meghan Ory está grávida. Ainda não é certo como a produção irá esconder a barriga da atriz ou como isso poderá influenciar na trama. 
Será que teremos uma reconciliação entre Mick e Thomas? Graças às insistentes perguntas da Abby em saber o que aconteceu entre o pai e o tio, tivemos algumas respostas. Eu só não estou convencida de que as respostas estavam corretas. Ainda estou achando tudo muito suspeito e desconfio que Megan tenha alguma coisa a ver com essa desavença entre os dois. 

Mick ganha cada vez mais seu espaço e, consequentemente, nossos corações. Espero ansiosamente conhecer mais a história do patriarca da família. 

Como nos três episódios anteriores, It's Always Nashville chegou na dosagem certa e deixou gostinho de quero mais. Em meio à tanta série parecida, com fortes nomes e produções espetaculares, Chesapeake Shores ganha seu espaço com doçura e leveza. Apesar de não ser uma série que tenha tantos recursos, ela é um belo atrativo pra quem quer fugir dos estereótipos que já tem no mercado americano. É uma série que vale a pena parar pra assistir. 

 Até a próxima, leitor. Espero que tenha gostado!
Comentário(s)
0 Comentário(s)