Orphan Black - 5x7 - Gag or Throttle

Por Dilma Oliveira

26 de julho de 2017

Este review pertence especialmente a Rachel Duncan: sua educação rígida, chegando a um acordo com a misteriosa doença que ataca os Ledas, sua contínua traição por todos os cientistas que a rodeiam e a eventual redenção ao PT.  Eu sabia na semana passada, quando S avisou Rachel, ela talvez precise do Clone Club algum dia para que suas lealdades mudassem, mas fiquei surpresa ao ver isso acontecer tão rapidamente, e com essa dose extra de olho-gouging.  

Rachel Duncan já matou umas das irmãs clones, uma confirmação adicional de que Rachel pode ser fria e terrível até o Leekie ficou surpreso o quão isso foi longe demais, se até ele ficou em choque que sempre foi uns dos vilões mais temidos pelas clones imagina para nós fãs. Ela sempre foi algo de enigma. Criada por uma corporação, criada acreditando que ela era de alguma forma especial e dispensável, ensinou a condescender e enganar a sua própria espécie, ela sempre parece estar prestes a perder o controle. Agora, ela finalmente faz. 

Este episódio sentiu como tudo o que faz a série ser tão bem sucedida temáticamente, então não é nenhuma surpresa, houve uma grande ênfase na reprodução feminina aqui, incluindo vários exames ginecológicos. Isso me surpreendeu que se sentiu tão agradável e cheio para o elenco, embora Allison, Helena e Cosima tenham feito aparições breves e Felix foi apenas nas visualizações para a semana que vem. 
Enquanto o foco está em Rachel, o episódio foi tão bom em capturar o espírito do show que sentiu mais como uma afirmação de que este final da série será tudo o que esperamos, o que foi reforçado pelo retorno de personagens terciários como Gracie e Mark, o clone de Castor que não vimos desde o final da temporada 3. 

Aparentemente, ele ainda está vivo com a esposa. Mark é trazido como o "convidado" de Coady (embora as algemas e um capuz sobre o rosto não façam uma maneira muito hospitaleira de chegar), ele é o único clone masculino que agora que Ira está morto. Além disso, ela precisa de algo dele, uma amostra de sêmen, presumivelmente para que ela possa continuar revigorando todas as suas experiências de clonagem. Mas ele tem informações sobre onde podem encontrar Helena eu pensei que esses dois tinham morrido, mas tudo bem vida que segue, que eles não ouse tocar em Helena a minha protegida, meu clone preferido (todas as clone são minha preferidas mais sempre tem uma que é mais RS).
Mais uma vez, eles usam o flashback soberbamente, como uma adição essencial a este episódio específico, em vez de uma obrigação prolongada. A cena do dia atual não tem uma contrapartida flashback, mas quando eles fazem, os pares são habilidosamente combinados para desenhar um significado aumentado. Alison está de volta do seu estudo de tempo Jung, com um novo corte de cabelo (nessa cena eu ri tanto que dei até uma pausa para não perder o foco), o que ficaria ótimo se a peruca não fosse tão horrível. A tatuagem que significa algo, mas parece um erro de digitação, é uma caracterização perfeita dessa nova mudança de estilo, e como sempre, o pobre Donnie pareceu cautelosamente satisfeito com a mudança da esposa.

Agora é esperar e torcer para que Rachel fique do lado das Clone Club!
Comentário(s)
0 Comentário(s)