Orphan Black - 5×5 - Ease for Idle Millionaires

Por Dilma Oliveira

14 de julho de 2017

Como um suspense, Orphan Black está muito preocupado com questões de confiança. Em quem confiar e quando, o que torna os outros confiáveis ​​e como garantir a confiança dos outros, como a confiança faz você agir e como isso o torna vulnerável, e assim por diante. 

E uma das coisas que dá ao show uma profundidade temática é a prontidão com que essas questões sociais se enquadram nos seus aspectos biológicos. Se meus genes e eu fomos criados em um laboratório, posso confiar no meu corpo? Olhando de outra maneira, o torna uma questão-chave de confiança, a quem eu concedo acesso ao meu verdadeiro eu e o torna bastante literal. "Quem me ama? Quem me conhece? Quem me influencia?" Estes sombrearam muito rapidamente em 'Quem me possui?' 

Como nos lembrou no início do episódio desta semana, a Neolution acredita que é proprietária dos clones Leda, ou pelo menos do seu material biológico. Há um direito autoral escrito em seu código muito genético.

Não há motivo para que Cosima (e pouca razão para nós) confie na Delphine. Suas ações, em geral, têm pouco sentido, a menos que ela esteja jogando os dois lados. Ela fingiu estar morta há meses. Ela mente quase toda vez que ela abre a boca. Ela trai Cos pelo menos duas vezes apenas neste episódio. E, no entanto, ela pede a ela que confie nela de qualquer maneira, para acreditar no amor entre eles, confiar que tudo o que ela está fazendo é protegê-la. E Cosima faz isso, no que equivale a não apenas um ato de amor, mas um profundo ato de resistência. Ela faz o único movimento de xadrez que Neolution não pode antecipar. Ela coloca sua fé em algo que, mesmo em seu grande cérebro, não faz sentido.
Cos sai com Escon e Susan, que revela a última parte do plano: eles vão colher os ovos de Kira e implantar clones em 1.300 substitutos. Horrorizada, Cosima encontra Westmoreland e confronta-o: "você não tem 170 anos, você é apenas um homem doente que está aterrorizado de morrer. Você está desesperado, então você está colocando todos os seus ovos na cesta Lin-28A. Mas não é assim que os genes funcionam. Eles interagem uns com os outros - nunca é apenas um gene. Então, no final, você nem é um cientista muito bom. Tudo o que você fez é torturar crianças inocentes para a possibilidade de mais alguns anos de vida."

Nesse exato momento em que ela diz seu discurso lindo e maravilhoso para o velho psicopata PT, eu dei um pulo da cadeia e bati palmas, ela e maravilhosa como sempre (Cosima, sua linda, me dê um pouco da sua inteligência, pelo amor dos amores kkkkkk).
Susan se desvinculou desses experimentos, mas inseriu o gene em questão no DNA da Leda, esperando que ele daria aos clones um fator de cura especial. Sem dados. Então Kira veio (inesperadamente, uma vez que os clones deveriam ser estéreis), e ela tinha a capacidade de curar. Então, Rachel, tendo finalmente conseguido confiança sobre a criança, pegou o gene e experimentou com Aisha, isolando-o para se tornar sua fonte de juventude prometida. 

Gente essa série e incrível, estou ansiosa pelo final, pelo o que eu estou observando vai ser um final daqueles, uma coisa que ainda me pergunto toda vez que assisto um episódio é onde estará o pai da Kira (esqueci até o nome do coitado, RS) que desapareceu, espero que nos próximos episódios ele apareça e fique com a Sarah, ela merece ser feliz.

Bom, então é isso, não deixa de dizer aqui embaixo suas impressões sobre a nova e última temporada e até a próxima review!
Comentário(s)
0 Comentário(s)