Literatura em Foco: Inventei Você?

Por Ellen Joyce Delgado

30 de julho de 2017


Inventei Você? é um livro recente lançado pela Editora Verus e escrito pela jovem Francesca Zappia

O livro traz um enlace em nossas emoções e incertezas e nos prende do início ao fim, tentando uma descoberta daquilo que é real e aquilo que não é. 

Inicialmente, temos a rotina de uma adolescente. Não seria apenas mais uma jovem. Ela mesma se classifica como um peixe fora d'água no meio de todos os outros jovens. Logo na infância, a pequena Alex sofreu uma descoberta muito severa para uma pequena criança: no meio te uma turbulência e algumas alucinações, a mesma foi diagnosticada com Esquizofrenia. Esse foi o impacto inicial deixado, um pouco forte para aqueles que entendem um pouco sobre o assunto. 

Durante toda a narração, temos sua rotina exposta entre as linhas de cada parágrafo. Alex expressa seus desabafos pelo peso que esse problema trazia à sua identidade. 


Podia sentir junto com ela o verdadeiro conceito da palavra medo. Não é algo fácil para a garota do último ano do ensino médio. Não era mesmo. A própria personagem se limitava quando o assunto era amigos. Mas realmente algo muito estranho acontece e novos acontecimentos nos prendem um pouco mais ao ápice do livro: um novo amigo. Tudo estava indo tão bem que, de repente, ela mesmo se pergunta: Inventei você? 

O livro nos traz contextos fora do normal e uma luta de uma garota que tenta ser um pouco mais normal em um mundo tão escrachado. Alex não queria ser o centro das atenções, sempre. Apenas uma jovem que concluiria o ensino médio dentro dos padrões da normalidade. 

A cada estágio, a autora compartilhava mais um sentimento de dúvida, questões daquilo que realmente poderia ser real e alucinações. 

Eu realmente indico esse livro. Tanto como uma nova fonte de estudo para a discussão de um problema tão pouco discutido, quanto para uma rota de fuga dos problemas existenciais que a maioria dos livros trazem. Nesse aqui, posso afirmar que temos uma grande diferença. 

Siga Alex, entenda seus contextos e deixe-se levar nessa leitura tão enigmática e, ao mesmo tempo, cômica.

Comentário(s)
0 Comentário(s)