Gypsy - 1x03 - Driftwood Lane

Por Rozany Adriany

2 de julho de 2017


Se na review anterior eu falei que o segundo episódio foi um pouco mais fraco do que o piloto, minha opinião sobre o terceiro é que foi um dos melhores até agora! Nele pudemos ver algumas novas nuances de Jean, alguns conflitos e como ela se sai sob pressão.

Para começar devo dizer que achei bem legal o esforço dela em ter um encontro com o marido para sair da rotina e se aventurar pela cidade, mas, ao mesmo tempo, fiquei meio atônita com aquela conversa hipotética dos dois sobre traição e mentiras, é como se Jean sentisse um estranho prazer em estar na corda bamba e em fazer esses joguinhos e começo a me perguntar quando seu marido vai perceber essa mudança de comportamento que está ficando cada vez mais evidente.

E por falar em joguinhos, é exatamente o que ela vem fazendo com Sidney. Sabemos que ela está envolvida, até demais, mas o que eu vejo é que ela entra sempre no jogo da garota e faz o seu próprio jogo, porém, para em um certo ponto, não avança com a coisa toda. Aliás, se pararmos para pensar, o que parece é que o envolvimento dela com Sidney foi maior do que com os outros porque ela meio que a tira de sua zona de conforto, o que parece ser exatamente o que ela procura, do que ela sente falta em sua vida. 
Dessa vez a pressão veio a partir da festinha de aniversário de Dolly e toda aquela necessidade em atender, não só as expectativas da filha, como também dos outros convidados, principalmente das mães dos outros coleguinhas. E a festa foi exatamente o ponto mais crítico do episódio, onde Jean se viu encurralada por, praticamente, todos os seus problemas. Primeiro temos sua filha e sua inocente vontade em se expressar a partir do corte de seu cabelo, depois a mãe apareceu na festa (e já dá para perceber que as duas tem problemas), para aumentar a pressão ainda tivemos a secretária aparecendo descaradamente na festinha e para piorar de vez e causar a explosão, uma das mães fala de Dolly pelas costas. 

Aplaudi de pé quando Jean virou uma leoa para defender sua filha das maldades das outras mães que, precisam sempre viver de aparências e julgar o outro caso seja diferente do “normal”, mesmo que a diferença venha de uma criança de apenas 9 anos de idade! Mas, é impossível não perceber que ela vem se afundando em vícios a fim de lidar com o estresse e sua ansiedade, primeiro roubando a receita médica na casa de seus amigos, depois roubando as pílulas, e até mesmo fumando. Parando para analisar toda a situação só consigo chegar à conclusão de que a coisa vai desandar e vai desandar feio, amigos! 

Ps. E o que falar dessa briga no final para piorar tudo e ela indo encontrar com Sidney?
Comentário(s)
0 Comentário(s)