Prison Break - 5x09 - Behind The Eyes (Season Finale)

Por Lorena Alvarenga

5 de junho de 2017

Algumas vezes é preciso que se passem oito anos para que o tão desejado final feliz aconteça. 

Prison Break chega ao final da sua quinta temporada trazendo elementos de sucesso da série, se apoiando na nostalgia, apresentando boas cenas de ação e apostando na inteligência incrível de Michael para prender o público e cobrir as falhas de roteiro. 

Em algumas reviews mencionei que o grande problema da temporada foi não se colocar no mesmo patamar das séries de hoje em dia, pois apesar da onda de revivals os tempos são outros, o público não é mais o mesmo e se apoiar na saudade dos fãs só te leva até certo ponto. Prison Break foi sem dúvidas uma série de sucesso, que marcou uma época e levou muitas pessoas, assim como eu, a se apaixonar por este mundo das séries. Mas é preciso deixar o velho apego à série de lado por um segundo e fazer um balanço mais profundo da temporada. 

Não sou tão radical como algumas pessoas que disseram que a temporada não influenciou em nada na história da série, porque a realidade é que ela fez diferença sim. Mas é bem verdade que o sucesso não foi o mesmo de tempos atrás, ou mesmo que a temporada se colocou no nível dos grandes momentos da série, mas essa quinta temporada cumpriu com um importante papel, ela finalmente trouxe o final feliz de Michael e isso não é algo insignificante. 
A quinta temporada teve como elemento principal a volta de Michael, a volta à vida, a volta para casa, para sua família e para isso passamos por todos os momentos da guerra travada com Poseidon e todos os impactos que isso trouxe. Mas talvez nenhuma definição seja capaz de superar a fala de Sara: “Você está ocupado tentando ser o mais inteligente do lugar. Mas conheceu meu marido e viu que ele é mais esperto.” Tudo não passou de uma tentativa de superar o grande Michael Scofield e é bem aí que o agente duplo falhou. 

Dito isso, vamos ao episódio. 

Behind The Eyes muito provavelmente foi a despedida final da série e até que não fez feio. É preciso passar por cima de alguns erros e ignorar alguns momentos desnecessários, mas no geral foi um episódio satisfatório. Tudo se tratou de tentar prever os passos do adversário e ‘Não interromper seu inimigo quando ele estiver cometendo um erro’. 

O embate com Poseidon foi o assunto da temporada e apesar de Jacob ter sido um oponente bem inteligente, os níveis de genialidade demonstrados por Michael foram dignos dos melhores momentos da série. Ele não só conseguiu fazer Jacob agir da forma planejada, como antecipou suas reações ao cair nas armadilhas, conseguiu pegar o sangue na sala secreta e reencenar o assassinato do agente da CIA, tudo isso com o momento mais espetacular de todos que foi Michael formando o rosto de Jacob com as mãos. O que foi aquilo??? 
Um dos grandes problemas dessa quinta temporada foi o desenvolvimento dos personagens novos e o espaço que eles tiveram. Justamente por se apoiar na nostalgia das antigas temporadas, tudo o que o público queria era que os personagens antigos (principalmente Sucre) tivessem mais espaço e isso, aliado ao péssimo desenvolvimento dos personagens novos, resultou em uma combinação um pouco desastrosa. Afinal o menos pior dos novos personagens morreu nesse episódio e tudo o que deu para sentir foi que alguns minutos preciosos foram perdidos no desfecho mais insano de todos os tempos. Porque Michael não só descobriu que T-bag tinha um filho, como o tirou da prisão e virou seu amigo, arrumou uma grana para dar uma mão ao T-bag e o transformou em seu assassino particular para matar Jacob, tudo isso apostando que o violento criminoso iria se sensibilizar com um filho saído sabe se lá de onde. Já Van Gogh conseguiu apenas ser útil nos seus momentos finais e Ja não teve um real impacto na temporada. 

Nada mais justo que tudo terminar com Michael recuperando sua identidade e deixando Kaniel Outis para trás, além é claro da verdade sobre Jacob ser revelada. Nada mais justo ainda que T-bag e Jacob acabando na mesma prisão e que a série nos levasse de volta a Fox River relembrando os velhos tempos. Genial!! 

Talvez esse tenha sido o capítulo final dessa história, ou não, de qualquer jeito é importante saber que Michael não só está vivo, mas está feliz.

 P.s*: É preciso lembrar que Mike foi um personagem interessantíssimo de conhecer. 

P.s**: Ja e Freddie Mercury realmente não tinham nada para acrescentar na história...

P.s***: Lincoln também precisava do seu final feliz e parece que finalmente conseguiu.

P.s****: Sucre fez falta nesse episódio. 

P.s*****: A cena final entre Michael e Lincoln foi das mais bonitas. <3
Comentário(s)
0 Comentário(s)