Música em Foco: Lightening Tent

Por Ellen Joyce Delgado

13 de junho de 2017


O passado é apenas um sonho - baseado em nossas escolhas. 

Uma música marcante em um filme adorável. Lá estava ele, Chris Evans 💓, no filme Deixa Rolar, em busca dos roteiros da vida. Ele era um amante da ação, e mero novato no amor. A música que apresento se chama Lightening Tent, da banda Wildlife.

Aqui estamos nós, de novo, na véspera do amanhã. Anos se passaram. Milhares de palavras não ditas, sentimentos mal interpretados e lembranças de uns dias que não voltam mais. Esperando por aquele momento o tempo todo. Buscando os sonhos que insistem em tardar. 

Continuo aqui. Com aquelas marcas vultosas que o pretérito insiste em me advertir. Talvez, ele ainda creia que vale a pena relembrar. 

Looks like We’ve gone too far In a matter of time You’ll all be stars. Parece que nós fomos longe demais. Em questão de tempo vocês serão estrelas. 

Sou especialista na arte de amar. Já sobre o amor, entendo muito pouco. Sou uma mera coadjuvante. Só sei que quando a gente quer bem, a gente quer bem mesmo. Movemos o mundo por meros segundos interligados. Paramos o tempo na intenção de vivermos conectados à eternidade. Ah, como essa eternidade é passageira. 

The past is just a bridge we burned down behind us. O passado é apenas uma ponte que nós queimamos atrás de nós. 

Navegamos na linha do tempo como amadores. Em alguns momentos, somos meros náufragos em busca de um amparo. Submergir faz parte do nosso progresso. Depois disso, devemos ao menos ter aprendido a deixar nossas marcas navegando pelos oceanos do passado. 

Machucados e hematomas sempre aparecerão nas marcas de nossa alma. São as nuvens de nosso temporal. Mas vale lembrar que, depois dessa tormenta, sempre teremos a calma. E acredito que sempre estaremos aqui, gladiando por nossos anseios e combatendo os vestígios do passado, os quais ainda insistem em ressuscitar. 

Assim como lá no enredo do filme estava Chris, estamos nós aqui, também, no contexto de nossa realidade. Permaneceremos sempre assim, no roteiro de nossas vidas, até o último dia de nossa existência.


Comentário(s)
0 Comentário(s)