House of Cards - 5x7 - Chapter 59

Por Alvaro Luiz Matos

4 de junho de 2017

Finalmente um episódio que me intrigou e me fez questionar o que estava acontecendo. Apesar dos constantes insucessos nas escolhas feitas para essa temporada, o sétimo episódio pareceu ter algo novo para nos contar.

O clímax para criar essa dúvida veio exatamente daqueles que geralmente sabem de tudo. A cara de susto no casal Frank e Claire aliado ao “eu não sei o que está acontecendo” dito por Doug para Seth e Leann foram determinantes para essa reviravolta na série.

E foi bem isso o que aconteceu, fomos aos poucos entendendo, juntamente aos protagonistas, que se tratava de um golpe de Brockhart (que tirou qualquer dúvida e provou que Conway é carta fora do baralho). Essa dinâmica pela disputa à presidência mostrou que ainda tem um pouco a oferecer, mas continuo suplicando que isso se encerre logo, afinal não temos mais porque insistir nisso, e já que os Underwoods finalmente parecem mais fortes e poderosos que seus concorrentes é hora de colocar um ponto final nessa história e encerrar essas eleições.

O episódio serviu também para que houvesse conversão entre o pensamento da senhora e do senhor presidente, fazendo com que eles pareçam unidos nesse momento. Em resumo, o que havia de chato até aqui foi parcialmente esquecido, portanto, por favor, vamos manter dessa forma ok?
Em paralelo, mais uma investigação jornalista acontece pelas costas de Doug e que vai se aproximando dele. Muito perigoso deixar com que isso vá a diante e pela primeira vez imagino que Seth esteja fazendo novamente aquele jogo duplo de lealdade, onde deixa a porta aberta com o pé para fora apenas para saber o andamento dos fatos. Pode ser que eu esteja enganado, mas prefiro o personagem como braço direito a um traidor.

Só aproveitando que levantei questões de lealdade, sou daqueles espectadores que torce pelo “dream team”, ou seja, que escolhe os personagens que podem agregar e que em algum momento já foram interessantes para a série e pede união entre eles. Acontece que eu gostaria muito de ver a trinca Leann, Doug e Seth funcionando em comunhão, assim como gostaria que personagens chatos como o Thomas e a já cansativa Catherine Durant se despedissem do elenco. Sempre sonho com esse tipo de faxina no elenco e que pequenos desentendimentos morram para que os roteiros da grande maioria das séries tenham um número menor de dramas paralelos que pouco agregam.

Portanto, estou na torcida e espero francamente que até o final da temporada algo de bom aconteça nesse sentido.
Comentário(s)
0 Comentário(s)