Into the Badlands - 2x10 - Wolf's Breath, Dragon Fire (Season Finale)

Por Alvaro Luiz Matos

22 de maio de 2017

Só posso começar agradecendo a essa season finale por motivos de: “Tilda is back” and “Veil is dead”

Into The Badlands se despede de uma segunda temporada inferior à primeira, mas que em sua reta final conseguiu se tornar relevante e entregar o que os fãs esperam, conseguiu sumir com os personagens ruins durante a temporada, incluir o incrível Baije na história e manter (ufa) os poucos bons personagens que tínhamos. Dentro dessa listagem o já cansativo Quinn finalmente seguiu o caminho do seu igualmente chato filho; vimos vários Barões sendo mortos durante a temporada e mais do que isso, vimos a pedante Veil ser morta nesse último episódio. 

Dito isso volto a minha frase de abertura para reafirmar que entre ter Tilda ou Veil não daria nem para pensar duas vezes. Em séries de luta e histórias fantasiosas tudo o que eu mais odeio são personagens pedantes, que se arrastam e que são os coitadinhos que não conseguem agregar muito à história. Veil sempre foi chata, e nem em seu melhor momento na primeira temporada valia a pena mantê-la na série. Já o retorno de Tilda foi uma boa surpresa, achamos mesmo que a Viúva teria tirado a vida da menina e que nunca mais veríamos aqueles lindos olhos azuis brilharem. 

No entanto começa aqui as minhas reais preocupações em relação à terceira temporada dessa série.

Veja bem, no final da primeira temporada vimos cada personagem partindo para um lado, com essa divisão a “season two” teve um início terrível e demorou a engrenar, nada parecia funcionar, Sunny estava fora do centro da história, M.K passava férias na cachoeira e não voltou melhor do que saiu, Quinn foi ressuscitado por falta de plot criativo e Minerva seguiu fazendo só o que já fazia, sem novidades.
Dessa vez Tilda foi para um lado, Sunny para outro, M.K. virou o protegido da Minerva e Baije foi para um castelo em posse do seu livro e fez com que a série tivesse aquele final estilo J.J. Abrans como que dissesse “Olha essa história é maior, muito maior, esperem pra ver”. Não acredito muito que a história consiga ser muito maior do que isso, assim como não acredito que teremos um bom início de terceira temporada (pelo contrário, teremos episódios arrastados), mas torço sinceramente para que os roteiristas se esforcem e se superem.

No mais, tivemos cenas incríveis de luta, talvez uma das melhores que já pude assistir na série, foram pernas, braços e cabeças voando e o incansável Quinn sendo seguidamente atravessado por espadas e retornando como se isso fosse um simples corte. Baije também agrega muito à série, pois seu jeito canastrão de lutar é ao mesmo tempo uma forma de firmar o personagem como um guerreiro e também deixar o clima mais leve (Como alívio cômico).

Com algumas surpresas e outras obviedades a season finale teve um papel importante ao encerrar vidas e plots que já vinham cansando, mas foi infeliz em novamente separar os personagens da história uns dos outros. De qualquer forma nos entregou aquilo que queríamos: mortes, suspense, risadas e muita luta.
Comentário(s)
0 Comentário(s)