Conheça: The Magicians

Por Elizabeth Silva

5 de maio de 2017

The Magicians é uma série americana criada por Sera Gamblev (produtora de Supernatural entre as seasons 6 e 7) e John McNamara (criador e roteirista de Aquarius) distribuída pelo canal SyFy, baseada no best-seller de Lev Grossman, onde narra a história de Quentin Coldwater, um jovem muito tímido que não se ajusta muito bem na sociedade e se perde no mundo de fantasia que os livros nos/lhe oferecem.

Adianto de antemão que, para quem conhece um pouco o canal SyFy, sabe que suas séries não são lá conhecidas por seus efeitos especiais bons, mas que The Magicians veio para quebrar com isso. Muito bem produzida, escrita e filmada!

Antes de ter seu primeiro episódio lançado em dezembro de 2015, a série veio com a promessa de que seria um “Harry Potter para adultos” e claro que, para alguns dos órfãos de Harry Potter, assim como eu, toda a divulgação instigava a pensar no que a série era capaz de apresentar, afinal ela estava falando de um dos maiores e mais lucrativos mundo mágico já criado de todos os tempos!

Se a série conseguiu cumprir a sua promessa? Bem, no primeiro episódio você não pode tirar essa conclusão. Para quem não conhecia ou não leu os livros, a qual dizem que a série é fiel, como no meu caso, foi tudo uma grande bagunça que deixou um gosto de quero mais absurdo na minha boca. Como? Porque o personagem de Jason Ralph (Quentin) encanta qualquer um pelo fato de representar muitos de nós que, ao ler nossas obras de ficção preferidas, em algum momento desejou que tudo aquilo fosse real e que nos salvasse da realidade. 
Na série, Quentin e sua melhor amiga, Julia (Stella Maeve), na infância eram fãs apaixonados por uma série de livros que contavam a história do mundo encantado de Fillory. Quentin levou a magia dos livros até sua vida adulta. Uma coisa que gosto bastante é como mostra que todos nós um dia somos obrigados a crescer e encarar uma vida real, parece fazer uma homenagem a todos que cresceram lendo Harry, Senhor dos Anéis ou Nárnia, e tiveram que aceitar que nada daquilo é real ~suspiros~ ... 

O mundo mágico se mostra real aos dois amigos quando são selecionados a fazerem um teste para entrar em Brakebills (aka Hogwarts, só que sem as corujas) onde eles resgatam os jovens/adultos de diversos lugares do mundo e os ensinam a controlar sua magia. Apesar da clara referência, Brakebills não é nada parecida com Hogwarts, aí sim realmente vemos um ambiente mais adulto.

Enquanto Quentin tenta se ajustar ao seu mais novo mundo, ele descobre que não somente magia é real como o mundo de Fillory também, e que os dois mundos são aterrorizados pela Besta. Um ponto que pode ser considerado negativo ou não, é que tudo isso é apresentado no primeiro episódio, deixando as coisas bem corridas. Tem um momento que você precisa parar para organizar os pensamentos, para quem gosta desse tipo de abordagem vai amar logo de cara! Mas deixo a ressalva que, apesar de não parecer, a série destrincha melhor cada detalhe e dá sim, futuramente uma explicação para tudo que está acontecendo ou já aconteceu. É baseada nos livros? Sim. Preciso ler pra entender? Não.

A primeira temporada se divide em momentos onde alguns episódios são devorados e outros demoram um pouco para descer, mas não posso negar a qualidade incrível que ela adquire em seu encerramento e qualidade essa que foi levada para a segunda temporada, esta que, para quem se assustou com a rapidez dos acontecimentos da primeira, vem um pouco mais devagar explorando agora Fillory (aka Nárnia, a semelhança é demais).
Sobre os personagens, eles não podiam ser melhores, de verdade! Apesar da primeira temporada focar mais em Quentin, Julia e Alice (Olivia Taylor Dudley), a série não deixa de explorar seus personagens secundários mostrando um pouco deles a cada episódio. Acreditem, no começo você pode achar que todos são fúteis, mas só porque os produtores são inteligentes e esperam o momento certo para explora-los e fazer com que eles agarrem seu coração. É uma das poucas séries que eu não odeio ninguém e nem consigo! Margo (Summer Bishil), Elliot (Hale Appleman) e Penny (Arjun Gupta) são as estrelas que mais brilham na segunda temporada, dessa vez se tornando tão importantes quanto o outros três.

Apesar de ter a fantasia como sua alavanca a série ainda traz assuntos importantes, como a diferença entre as culturas, depressão, abuso sexual, religião e na segunda temporada fica evidente a voz do feminismo que a personagem Margo exerce, que não são abordados de maneira boba ou leve. O que mais me agradou foi exatamente o como as personagens femininas são poderosas na série e tem uma voz, por mais que Quentin seja “o” protagonista, ele perde o brilho numa cena em que Margo, Alice ou Julia estejam juntas.

Se vocês, assim como eu ficam bobos com a amizade do elenco, eu posso garantir que vocês estão na série certa! Todos, sim, t-o-d-o-s os atores da série possuem uma interação linda entre eles e estão sempre online, em suas contas pessoais no twitter, nos dias de exibição interagindo com os fãs e com eles mesmos. (Posso deixar o meu momento tiete falar mais alto e dizer que o Arjun já me respondeu no twitter?) 
Sobre a primeira pergunta, se a série cumpriu sua promessa, eu lhes respondo que sim. Ela é uma mistura de referências claras aos clássicos que amamos ver em Harry Potter e Nárnia. Traz um pouco de tudo dos dois mundos e cria o dele de maneira que é difícil explicar, só vendo! 

Eu espero que tenha despertado um pouco da curiosidade de vocês e que venham conhecer o mundo de The Magicians. A série foi renovada para sua terceira temporada e provavelmente, volta em janeiro de 2018. Dá tempo de maratonar enquanto espera a próxima sair! 
Comentário(s)
0 Comentário(s)