Prison Break - 5x03 - The Liar

Por Lorena Alvarenga

23 de abril de 2017

Eis que doze anos após sua estreia, Prison Break chega ao seu terceiro episódio dessa nova temporada e as coisas parecem finalmente estar entrando nos trilhos. A série até aqui não conseguiu fazer as coisas funcionarem e vinha entregando atuações que não convenceram, com cenas fracas e incompletas, além é claro, de vir falhando em retomar o clima da série. Tudo parecia uma tentativa mal sucedida de pegar carona nessa onda de revival. Então, apelar para velhos elementos da série foi uma ótima escolha para o momento. O que não quer dizer que o nível voltou a ser o mesmo de anos atrás, apenas quer dizer que os roteiristas parecem ter achado o caminho certo. 

Nesse terceiro episódio tivemos finalmente uma resposta para uma das principais perguntas da temporada. Se nos velhos tempos a Companhia era o inimigo, agora Poseidon parece ser o grande mal por trás dos acontecimentos. 
Nada de Fox River ou Sona, nova temporada, nova prisão. Nesse caso Ogygia é o lugar da vez e nada mais caótico e atual que a Guerra no Iêmen para servir de pano de fundo para as novas histórias de Michael e companhia. Passando por cima dos inúmeros erros e da forma quase ridícula como o país e sua guerra tem sido retratados, o lugar tem cumprido seu papel e tem conseguido transmitir o desespero dos acontecimentos, seja com Michael seus novos companheiros de prisão ou Lincoln e o seu núcleo sem graça. 

Por falar em sem graça, é preciso gastar um tempinho para falar dos novos personagens, afinal, em qualquer série não basta uma boa história, ou aquele suspense que nos gruda em frente às telas e que faz surgir inúmeras teorias, é preciso bons personagens. Personagens carismáticos, bem trabalhados, personagens que melhorem ainda mais o nível da série ou que consigam carregar a história quando as coisas não vão tão bem, e isso é o que vem faltando. E não entendam isso como uma crítica ao Michael, Sara ou aos personagens antigos, a crítica é totalmente voltada aos personagens novos. Desses novos personagens somente Whip, Abu Ramal e Jacob tem conseguido despertar algum interesse, e Whip somente porque é uma parte do que Michael fez durante esses anos em que estava ‘morto’. Abu Ramal parece ser um personagem promissor e se tiver bom desenvolvimento pode funcionar bem como um dos ‘vilões’ que Michael e companhia precisam derrotar. E quanto a Jacob, esse é realmente interessante. O novo marido de Sara despertou suspeitas em todo mundo e talvez ele tenha alguma ligação direta com Poseidon. 
The Liar soube jogar bem com elementos conhecidos da série, trouxe um ar nostálgico muito bom para o episódio e ainda assim conseguiu seguir em um ritmo mais eletrizante, e se não bastasse tudo isso, ainda apresentou uma cena final emocionante. A relação de Michael com Lincoln, Michael com Sara e principalmente Michael são o que fazem Prison Break ser o que é, e ver que algumas coisas não mudam é reconfortante. E quase tão importante quanto isso é ver Wentworth Miller retomando o papel tão bem, como se ele não tivesse parado um dia de interpretar Michael.

 P.s*: É preciso que a série nos informe sobre alguns acontecimentos pós morte do Michael. 

P.s**: Sucre vem fazendo falta, ainda mais se comparamos Whip com ele. #VoltaSucre


Gostaram do episódio?
Comentário(s)
0 Comentário(s)