The Vampire Diaries - Retrospectiva da 8ª Temporada (Episódios 8 ao 13)

Por Elizabeth Silva

17 de março de 2017

Nada mais justo, após a minha ausência no site que voltemos a apresentar e falar sobre esse série que marcou a vida de muitos! Se despedir não é uma tarefa fácil, e espero de verdade que todos tenham amado, odiado, se desesperado, chorado, que tenham sorrido bastante e que tenham para sempre as lições que esse série apresentou ao logo desses oito maravilhosos anos. 

Episódio 8 – We Have History Together

No episódio que marcou o retorno de The Vampire Diaries em 2017, tivemos, como sempre, duas linhas temporais apresentando o episódio. Apesar de sempre salientar que os protagonistas da série são os irmãos Salvatore, para mim nesse episódio eles foram quem ficaram em segundo plano. Afinal quando Caroline volta ao colégio ela se depara com Sybil, que eu jurava tinha partido dessa para qualquer lugar do mundo menos Mystic Falls. 
Uma coisa que me agrada é que geralmente esses episódios que começam “sem pé nem cabeça”, são os que mais trazem informações que ajudam os mocinhos ou que atrapalham bastante a vida deles. No começo da temporada quando eu vi o pai de Matt ser adicionado na série fiquei com uma pergunta que não consegui responder, por que agora? A primeira coisa que pensei foi, bem é a reta final, talvez querem finalmente fazer o rapaz parar de sofrer. E como vimos, Matt descende de uma das famílias fundadoras, e somente o seu pai podia esclarecer certos pontos. Devo aqui ressaltar que a relação dele e do seu pai me deixa com o coração na mão, eu já disse que amo a atuação do Zach Roerig? 
As cenas da Sybil com a Caroline fizeram com que eu continuasse com o episódio, porque sinceramente que chatice foi aquele jogo do Stefan com o Damon. Eu não gosto de jeito maneira quando o Stefan desliga sua humanidade, talvez seja por estar acostumada a vê-lo como irmão bonzinho, mas eu simplesmente não consigo gostar da maneira que ele se porta e das coisas que ele faz, até parece que tenta ser igual ao irmão e falha miseravelmente. Não sei o que muitos veem de bom no “Stefan Estripador”, se você gosta do personagem nessa fase, tudo bem, mas para mim ele é um pé no saco. Tive que ter muita força de vontade para não pular as cenas dos dois, um joguinho chato só para manter a história dos dois no episódio. Se fosse eu, dirigindo ele, preferia mil vezes que fosse focado sobre a descoberta do sino e nos detalhes do que naquele joguinho infantil com a jovem doutora. 
A única coisa que salvou foi a cena final do Damon conversando com aquele detento e resgatando o colar da Elena, meu coração Delena shipper quase infartou.

Episódio 9 – The Simple Intimacy of the Near Touch
Esse episódio foi de longe muito melhor que seu anterior. Dessa vez sem joguinhos chatos do Stefan e dando muito mais destaque ao amor épico de Elena e Damon. Para a maioria dos fãs do casal, não há cena mais linda de quando Damon e Elena dançam pela primeira vez. Para mim, pelo menos, foi o ponto onde eu acreditei verdadeiramente no casal e quis os dois juntos o quanto antes. Voltar ao Miss Mystic Falls foi uma jogada e tanto dos produtores. É sem dúvidas algo que não poderia faltar nessa despedida da série. E preciso agora dizer que meu ego foi levantado pelo comportamento do Damon. Finalmente eu vi o homem que eu queria que ele tivesse sido desde o começo da temporada. Eu amo quando ele tenta expressar o amor pela Elena, e as palavras não fazem jus ao sentimento. Necessito dizer também o quando amei ver a Caroline se esforçando para ajudar o Damon, mesmo não suportando ele ou tudo que ele já fez, tudo pela sua melhor amiga! 
Quanto ao plano de Sybil, eu adorei saber que sua irmã Seline não está aceitando nada bem ser passada para trás. Infelizmente não confio nem um pouco nela para achar que quer realmente matar a irmã. E falando na sereia má, os produtores prometeram e conseguiram trazer uma grande vilã para a série! Preciso, mais uma vez, dizer o quão bem a Nathalie Kelly atua. Me arrisco a dizer que, depois dos irmãos Originais ela foi uma das melhores vilãs.

Episódio 10 – Nostalgia’s a Bitch

Se o episódio anterior foi bem emocionante, este aqui então foi de longe o melhor da temporada. Provando que realmente nostalgia é uma bicth sem coração e desalmada, e episódio rodou em torno de trazer Damon de volta à ativa e do plano falho de Seline em fazer com que Matt tocasse o sino e destruísse sua irmã e Mystic Falls como brinde. Mas apesar da ação ter ficado com eles, a grande estrela do episódio foram os personagens que já deixaram a série retornando para dar uma última palavrinha.
Tudo que Caroline e Bonnie deviam fazer era perdoar Damon pelas situações que seu próprio subconsciente criou. Não foi uma surpresa ver Liz Forbes pelas memórias dele, afinal todos nós sabemos o quanto a amizade dos dois era forte e o quanto Damon sofreu com a sua partida, assim como a Carol. Ver ela perdoando o Damon do fundo do seu coração foi algo que mexeu comigo. Caroline você é uma pessoa maravilhosa, e admitir que, apesar das coisas ruins, Damon no fundo tem um bom coração é algo que eu não esperava ouvir. Quando Bonnie entrou em cena eu não esperava nada menos que a sua avó também, afinal aquilo fora uma das coisas que mais machucou ela e que Damon já havia pedido perdão. Ver o quanto ela se importa com ele só me mostrou que, essa foi, de longe, a melhor amizade que a série poderia ter criado. Amo muito o relacionamento dos dois e meu Deus do céu o que foi aquela carta? Eu chorei tanto que quase não consegui continuar. E to chorando de novo só de lembrar! 
Outra pessoa que também não podia faltar era seu irmão, e por isso eu digo que a série é toda voltada a eles. Eu amo a relação dos dois e fiquei muito feliz em ver que dessa vez a “recaída” de Stefan foi pelo seu irmão e não pela dor, como aconteceu quando desligou a humanidade. Fiquei surpresa também em ver que dessa vez era Damon que precisava perdoar alguém. “Because you’re my brother, and I love you” tragam meu lenço de volta, por favor.
Sobre as sereias, foram tardes bitches!

Episódio 11 – You Made a Choice to be Good 

Esse episódio foi mais focado em ação, mas sempre sem deixar o apelo ao lado emocional também. Eu pessoalmente estou me corroendo de raiva e de medo do Cade, pelo pouco que vimos da história dele já era de se esperar que ele fosse bem perturbado da cabeça. E ainda assim não havia tido um momento na série, desde a introdução dele, em que Cade realmente mostrasse quem é.
Nem sei definir o que senti quando ele fez aquele jogo maluco entre Stefan e Damon, novamente. Parece que brincar com a relação dos dois irmãos é o passatempo preferido de todo e qualquer vilão, colocar um contra o outro até que eles se esqueçam ou se matem. Obrigada por isso nunca ter acontecido.
E aqui ficou provado de uma vez por todas, se é que ainda restava dúvidas, que Bonnie Bennet veio a esse mundo para sofrer. É sério, chega a ser irritante o quanto de dor que ela passa e quando finalmente chega perto da sua felicidade ela se esvai. Se tem uma personagem que evoluiu muito, essa personagem foi ela. Mais do que merecido seria o seu final feliz, por que fazer isso com a garota? Qual o problema de vocês produtores e roteiristas? (Witch Bennet is back?) 
Um detalhe que eu vejo muito eles passarem por cima é a cura. Como vimos Stefan “tomou” a mesma, mas uma coisa que me intriga é o fato deles terem deixado totalmente de lado que quando um vampiro toma a cura ele pode morrer por conta disso. Helloo Katherine? Todos sabemos que quando tomou a cura seu corpo começou a compensar os anos de vida e ela iria morrer por conta disso. De repente, Damon queria tomar e nada iria acontecer? Gente ele tem quase 200 anos!!! Enzo a mesma coisa e quem dirá o Stefan. Queria entender de verdade porque esse detalhe foi deixado de lado.

Episódio 12 – What are you?
Outro episódio rodeado de ação que dessa vez trouxe um pouco mais de história, afinal o que seria de Mystic Falls se as famílias fundadoras não estivessem metidas em tudo que envolve o sobrenatural? 
Gostei até de ver um pouco mais sobre a família Donovan e ver que os escritores colocaram, pelo menos, uma história bem coerente sobre a criação do sino e do porquê Sybil e Seline estivessem tão interessadas nele. Devo dizer que o começo do episódio, quando Matt aparece vagando pelo Arsenal sem rumo, eu me lembrei da primeira temporada quando o mesmo acontece com a Bonnie por conta das visões do passado e ela para no meio da floresta sozinha. 
O Damon que tenta ajudar da maneira mais irresponsável possível voltou e junto com Alaric eu tive que admitir que ele mandou muito bem ao ler o diário antes de entregar, eu não estava esperando por isso de jeito nenhum. Aliás a maneira como a possível arma para matar Cade, tem sua origem remete totalmente à estaca que mata os Originais. Por falta de criatividade ou querendo criar um clichê, será essa lâmina capaz de resolver esses problemas de vez? Talvez Kai tenha a resposta para isso. Aliás o que diabos ele está fazendo aqui? 
Sobre Bonnie, eu fico sem palavras para dizer o quão me parte o coração vê-la daquele jeito. Eu acreditei que sua mágica havia voltado, mas a verdade é que ela abriu um portal que provavelmente é de onde Kai saiu. Eu entendo a maneira dela de querer se apegar a Enzo, quem não se apegaria a única coisa que pode salvar quem você ama? Fico feliz por sua mãe estar com ela nesse momento, mostrando aquilo que todas as mães são. Mais protetoras e mais sábias que os filhos.
Ver Stefan e Carol trabalhando juntos também me agradou, e mais uma vez fico feliz que tenha sido ela a estar junto dele. Como um ciclo que se fecha, sabem? Agora os produtores só podem estar querendo matar todos os fãs, o Stefan humano além de ter quase morrido no episódio, agora é sequestrado? Teremos que contratar uma equipe de paramédicos?

Episódio 13 - The Lies Are Going to Catch Up with You 
Nesse episódio temos a vida do Stefan virando de cabeça para baixo, agora que é um humano e tem que se virar sem suas habilidades que sempre foram tão úteis. Descobrimos que seu sequestrador é o jovem que agora ajudava Rick no Arsenal, Dorian que teve sua vida destruída ao perder sua família quando Stefan estava acompanhado de Klaus. Como se não bastasse isso, agora que ele não é mais um vampiro todas as pessoas que já sofreram com sua hipnose voltam a recuperar as suas memórias, e olha que ao longo de todos esses anos não foram poucas pessoas hein? 
Eu gostei do episódio por mostrar que não importa o quanto você queira fugir o seu passado continuará eternamente seu passado. Ao invés de esquecer ele e abandonar, aprender a conviver com ele é a melhor maneira. É exatamente isso que Stefan tem que fazer de agora em diante assim, com a ajuda da incrível Caroline que sempre está ao lado dele. Que casal meus amigos!
Damon, mais uma vez e de novo, mostrando que não aprende com seus erros ao “confiar” que Kai pudesse trazer Elena de volta logo. Eu amo o Chris Wood, mas Deus como seu personagem é mimado! Ele tem um grande potencial, porque apesar de ser irritante ele consegue por bastante medo ao ser tão imprevisível assim. 
Bonnie já pode levar a estatueta de personagem sofredora de todos os tempos. Fico feliz em ver que de certa maneira seus “poderes” voltaram e que ela está conseguindo se livrar de Cade. Que ela sempre foi forte isso não é novidade! Eu vim a esse mundo para enaltecer Bonnie Bennet.
Comentário(s)
0 Comentário(s)