Não é Gênero é Talento: Vamos Falar de Homossexualidade

Por Fabiano Oliveira

14 de fevereiro de 2017

Hoje tenho o prazer de iniciar essa coluna que iremos chamar de “Não é Gênero é Talento!”. Aqui reservamos o espaço para abordar um tema que a muito se tornou corriqueiro na vida de quem acompanha séries, filmes, HQs, etc. Sem muitas delongas, nosso papel é mostrar que talento está além do gênero da pessoa; sabemos que homossexualidade é muito debatida em redes sociais e veículos de imprensa, contudo, condição sexual não faz diferença, pois o que verdadeiramente importa, é o artista incorporar o personagem de corpo e alma.

Nós do Séries em Foco, concordamos que talento não se trata de com quem você dorme no final da noite, mas sim da entrega do artista, de como ele passará a mensagem e se essa mensagem será crédula ao telespectador. 

Podemos dizer que a comunidade LGBT, como é mais conhecida, lembrando que também pode ser chamada de LGBTTTIS, LGBTI, LGBTQ, no decorrer desta última década tem conseguido trazer visibilidade para a causa e incentiva cada vez mais artistas a “saírem do armário”. Isso tudo através de informação e conhecimento; os libertando das correntes criadas pela sociedade.

É verdade o que dizem, “O homem perece pela falta de conhecimento”, e o papel do Séries em Foco é mantê-los cada vez mais por dentro deste conjunto de informações que tanto gostamos e respeitamos, pois séries são a nossa especialidade.

Os LGBTs já podem comemorar os grandes avanços que conseguiram alcançar aos longo destes anos. Um destes avanços deu-se na indústria televisiva que se mostrou mais aberta, e busca proporcionar igualdade a todos os artista sejam eles homens, mulheres, trans etc. É claro que muito ainda precisa ser conquistado e feito, mas sim, os avanços foram grandes.

Visto isso, sabemos que em países mais conservadores e até nos que não são, muitos atores e atrizes assumidamente homo sexuais perdem trabalhos diariamente, não pelos seus trejeitos, mas pelo simples fato de se assumirem como são em suas vidas particulares, sendo estereotipados em determinados tipos de personagens.

Mas certo, maiores avanços acontecerão e estaremos aqui acompanhando os bastidores no intuito de buscar o melhor que o mundo pode oferecer para vocês.

Pensei em abrir essa coluna falando de diversas outras pessoas, mas resolvi falar do conhecido e talentoso Neil Patrick Harris. Ator norte-americano que hoje tem quarenta e três anos de idade, divide seu tempo como marido, pai, produtor, diretor, cantor e até mágico. É um dos queridinhos da América, com seu jeito espontâneo de ser, tem o bom humor exalando por seus poros e uma família "não tradicional" realmente linda. 

Já atuou em diversos filmes e programas de televisão e foi na televisão que atingiu a notoriedade que todo artista almeja em ter. É conhecido pelo seriado Doogie Howser, M.D, mas principalmente por sua atuação na comédia How I Met Your Mother série que durou nove anos e concorreu a vários prêmios ao longo destes anos.
Neil por sua atuação venceu people’s Choice Awards, Critics’ Choice Television Award, também foi premiado por sua participação no popular seriado Glee.  Posteriormente ganhou destaque na trama de Ryan Murphy, American Horror Story: Freak Show e não parou mais.

Seu currículo leva filmes populares seja com pequenas participações e ou em grandes momentos, cito American Pie, Os Smurfs e até mesmo no sombrio Gone Girl. O seu trabalho mais recente é Conde Olaf de Desventuras em Série, série produzida pelo Netflix e, apesar de a série não contar com tantas críticas positivas, uma coisa ficou certa entre os entendedores, Neil sabe o que está fazendo quando está em frente ás câmeras.

Sua vida pessoal está sempre nos holofotes da mídia, mas não de um modo negativo, pois ele esbanja felicidade com a sua família. É uma das pessoas mais influentes do mundo e assumindo-se gay 2007 e visto por muitos como um defensor da causa gay; levanta a bandeira gay com muito orgulho e luta pela igualdade sem se prender aos estereótipos.

Quando falamos de talento e sucesso o de Harris é inquestionável, podemos dizer que ele é um artista completo e que realmente não é o gênero que importa, mas sim a desenvoltura da pessoa para lidar com as mais diversas condições e situações.

Que a gloria deste primeiro episódio seja dada ao talentoso Niel que encontrou seu ápice na comédia, esse homem com sorriso de garoto e alma de artista. Artista promissor, adorado pelos fãs. 
Comentário(s)
0 Comentário(s)