The Walking Dead - 7x2 - The Well

Por Roberto Adryano

4 de novembro de 2016

Um episódio para acalmar nossos ânimos e ficarmos de luto por aqueles que se foram. Passamos para o núcleo do Morgan com a Carol; ela ainda meio inconsciente do tiro que levou no final da última temporada e ele marcando o caminho de volta e junto com os outros dois caras que o ajudaram. O grupo é atacado e a Carol consegue uma brecha para fugir, o que me dá um pouco de agonia, pois ela começa a alternar suas visões entre o mundo pós apocalíptico e o mundo antes dele (o que prova que nessa temporada o pessoal dos efeitos especiais está realmente trabalhando). 

Depois disso a cena já mostra ela deitada em um lugar seguro com o Morgan ao seu lado, a partir daí ele leva Carol para conhecer o líder do lugar e no caminho fala que o lugar é chamado de “Reino”, o lugar é aparentemente pacífico e me parece uma “Alexandria” que deu certo, com horta, com um sistema de segurança mais sólido e com um líder que sabe bem o que está fazendo com o local, mas pelo menos quando se trata do líder isso fica só no aparentemente mesmo, pois ao ser perguntado como se chamava o líder do lugar, Morgan fica um pouco receoso de falar, isso porque o nome dele é nada mais, nada menos que “Rei Ezekiel”. 

Foi um pouco decepcionante ver a apresentação dele na série, os trailers passavam a sensação que a chegada dele para série seria de uma grandeza da altura de um verdadeiro rei e não foi o que se passou no episódio, eu tive a mesma reação da Carol quando o tal “Rei” Ezekiel começou a falar e ao ver ele junto com seu “bobo da corte” e do seu animalzinho de estimação chamado Shiva que nada mais é do que um louco, algo tipo “ok, esse cara é louco. Me tira daqui”. 

Ao ser apresentado ao local, você começa a pensar da mesma forma da Carol: “como esse povo sobreviveu? Como sobreviveram a esse teatro? Simplesmente não tem como.” A partir daí o episódio começa a se desenrolar da maneira correta, parece que com os pés no chão e dizendo para o telespectador: “Calma, tem um motivo para que tudo isso esteja assim até o momento”. 

O Rei Ezekiel junto com um grupo do Reino, vai à procura de animais, mas o curioso é a dieta desses animais que é a base de zumbi, o que deixa o Morgan um pouco preocupado com a situação. Um pouco depois conhecemos Ben, um cara meio atrapalhado, por quem o Ezekiel, quer dizer, Rei Ezekiel possui um pouco de afeto. Tanto que chegando no Reino, o Rei pede para que Morgan treine Ben, pois o desejo dele é que o garoto se transforme em um membro importante da corte e que precisa dele bem treinado para isso, a princípio Morgan rejeita a proposta, mas logo depois acaba aceitando a tarefa. 
Enquanto isso, Carol coloca sua famosa máscara de “ah, eu sou apenas uma senhora indefesa” que já vimos com a chegada do grupo a Alexandria. E sabemos que ela faz isso pelas desconfianças, afinal, após tudo o que o grupo passou, como não desconfiar de novas pessoas ao conhece-las? Carol passa o episódio inteiro com essa máscara, buscando meios de ir embora dali sem que ninguém perceba, e é impressionante ver como ela encarna bem o papel, e como esse mecanismo de defesa dela é visível levando em consideração todos os traumas da personagem. 

Em seguida o rei Ezekiel chama Morgan dizendo que tem assuntos importantes para tratar e é aí que Negan entra no universo do Reino. Sabem os porcos que eles alimentam com zumbis? Sim, são oferendas para o tio Negan, ele explica que toda aquela situação é um segredo para quem vive lá, que isso é um fardo de se governar e não uma recompensa. E então, ele faz bem seu teatro, se passa por subordinado, usando a cabeça ao entender que não dá para simplesmente bater de frente com o grupo, já que seu pessoal é menor e que eles têm menos poder de fogo. 

Por fim, Carol é surpreendida pelo Rei Ezekiel ao tentar ir embora do Reino sem que ninguém perceba e vemos uma conversa bastante interessante entre eles, onde, a princípio ele continua em seu papel de rei, com todas as suas falas grandiosas que mais parecem ser copiadas de algum lugar, o que não dá muito certo com Carol, que acaba mandando a real e falando que achava tudo aquilo um grande circo. 

E assim ele acaba explicando como ganhou esse título, e descobrimos que o tal “rei” não passava de um guarda de um zoológico antes de tudo acontecer, que quando o apocalipse começou acabaram deixando a Shiva machucada para trás, ele ajudou o tigre e eles acabaram juntos desde então. Além disso, ele fala da necessidade do povo em ter alguém para seguir nos momentos mais caóticos e que para ele não foi difícil, pois tinha a Shiva ao seu lado, e o povo começou a engrandece-lo inventando histórias a seu respeito e que dessa forma ele se tornou um tipo de herói, o líder que eles tanto precisavam. 

Em geral foi um episódio meio parado no qual todos precisavam, principalmente depois de tanta coisa para absorver após o primeiro capítulo. Apesar da introdução fraca do Reino e do Rei Ezekiel, no fim entendo o fato de mostrarem um lado mais pé no chão de tudo e que todo esse teatro é proposital e bem pensado. Agora é esperar o que vai acontecer em seguida, bem provável que no próximo episódio iremos acompanhar o núcleo do Negan e o que irá acontecer com Daryl depois de tudo o que se passou na emboscada. 

Agora é segurar o coração, pois tem muita coisa para acontecer ainda.
Comentário(s)
0 Comentário(s)