The Vampire Diaries - 8x05 - Coming Home Was a Mistake

Por Elizabeth Silva

21 de novembro de 2016


Apenas pelo título que o quinto episódio de The Vampire Diaries recebeu, já imaginava o quão emocionante ele seria. Ao começar que, uma das coisas mais discutidas ao longo das temporadas, foi o constante arrependimento de Stefan por ter voltado a Mystic Falls e alguns momentos que outros personagens que culpavam a volta dos irmãos para cidade ser o grande causador de tanta dor. Mas, isso sempre foi superado, infelizmente dessa vez, não podemos dizer se eles vão seguir em frente tão bem. O maior erro de Tyler Lockwood foi ter voltado para casa, o que resultou em sua morte, temos o começo do episódio centrado nos personagens recebendo a trágica noticia. Estou muito, mas muito triste mesmo por ver o personagem levando esse fim. Francamente, ele merecia uma despedida de verdade da série, dos seus amigos. Se dar ao trabalho de convidar, novamente, o ator Michael Trevino para dar a ele no máximo mais cinco minutos na série e matá-lo logo em seguida era melhor nem ter trazido. Acredito que de quem que tenha sido a péssima ideia, a intenção devia ser de amarrar as pontas soltas e de que precisavam de alguém para a personagem de Ian matar, devem ter pensado que esse seria um bom fim pro Tyler, mas definitivamente foi um erro enorme. Confesso que fiquei tão chateada que após ver o caixão dele, que eu parei de assistir e só voltei no outro dia. 

Seguindo com o episódio, que me deu um susto ao pensar que Tyler não teria uma honra a sua memória como os outros personagens, Damon está bem no meio de um conflito emocional, suas emoções estão turbulentas e ele não está gostando nada disso. Confrontando até mesmo Sybil, eu acreditei que seria neste momento que ele ligaria sua humanidade novamente, mas se fosse assim tão fácil não seria TVD. Como sempre, eu adoro as interações dos irmãos, amo a conexão que os dois atores tem e a maneira como deixam transparecer suas emoções chega a ser tão real que eu confundo se é mesmo atuação ou não. Depois de uma briga no meio do cemitério, eles continuam a discutir em um circo, de cara quando vi a roda gigante eu me lembrei da cena que Stefan e Elena vêem o nascer do Sol ali, mas o clima da cena é totalmente diferente. Mas uma vez quando Damon está a um passo da humanidade dá outros dez de volta ao precipício. Vão me chamar de resmungona, mas aqui vai outra reclamação! Não entendo qual a graça de fazer um Damon tão "fácil" assim. O personagem, como todos sabem, é um dos mais complexos que esconde seu carinho e afeto numa cara fechada, aquele que não tem medo de fazer nem falar o que os outros querem, mas não tem coragem para isso, Damon é aquele que toma as decisões que os outros ignoram, e eu admiro isso. Mas está me irritando o fato dele estar tão entregue nessa temporada, pra lá e pra cá acatando ordens de Sybil, sendo influenciado pelo medo. No começo estava claro que era apenas pelo controle da sereia, mas agora ele teve a oportunidade de voltar e virou as costas. Poxa Damon, custa se esforçar mais um pouquinho? 
Sobre as partes boas do episódio, temos um pouco de conforto nas cenas Steroline algo que se tornou raro, depois do pedido de casamento mal tivemos cenas do casal, mas fomos recompensados nesse episódio. Eu desde o começo gostava muito da amizade dos dois, e agora como um casal nota-se que essa ligação de apoio entre eles não se perdeu. Caroline está totalmente do lado de Stefan, não apenas como amante, mas principalmente como amiga e protetora, afinal Stefan sempre coloca os outros a frente e não lembra de cuidar de si mesmo, me deixa feliz ver Carol tomando essa posição. Do outro lado temos o casal Bonnie e Enzo, e sua luta para achar uma maneira de religar a humanidade de seu amado. Eu cheguei a ficar feliz por não ter tido nada disso no episódio anterior, o motivo era pela maneira chata que Bonnie estava se comportando, vendo apenas Enzo e mais ninguém, mas aqui caio em contradição porque Bonnie sempre cuidou mais dos outros do que de si e vê-la fazendo isso me deixa feliz, mas sinto que nesse processo ela ficou um pouco egoísta demais. De qualquer maneira, fiquei mais que feliz ao ver que ela achou um forma de libertar Enzo, em outra cena que me deixou angustiada e apaixonada, afinal Bonnie é aquela que irá até a morte por você. 

Como nada são flores, temos uma cena triste em que Matt está, mais uma vez, sendo obrigado a lidar com a perda de outra pessoa que foi tão importante em sua vida, seu melhor amigo e podemos dizer que quase um irmão. Eu amo a atuação do Zach Roerig, porque eu realmente sinto o que ele quer passar para as câmeras, ele é totalmente e completamente humano, ele não esconde sua emoção e isso me toca. Meus olhos encheram de lágrimas junto com os dele quando ele pegou a bola de futebol, fui levada a cena da primeira temporada onde Stefan nada humilde agarra a bolo que Tyler joga contra ele. Referente ao pai dele, eu estou achando interessante o começo da relação dos dois, é claro que a situação é complicada, o abandono ainda é um ferida que dói, mas acredito que é a partir daí que Matt finalmente vai ter seu novo começo. A caixa que ele recebe como herança de seu falecido amigo, responde as questões sobre como Tyler sabia tanto sobre as sereias. Ele estava continuando a pesquisa que Alex estava fazendo para recuperar a sereia que havia fugido quando o cofre foi aberto antes. Dentro dessa caixa havia várias cartas, fotos e anotações feitas durante a pesquisa, Matt pelo que deu a entender vai continuar com o trabalho de Tyler e ajudar seus amigos a derrotar seu novo inimigo. 
Falando nas ajudantes do Diabo, agora que sabemos que Seline é a outra sereia, já veio aquele famoso pensamento "poxa ela era tão legal com as meninas", sim era, mas ficou claro que foi para ganhar a confiança de Ric e Carol. Bem, até o momento nós sabemos que o dever de Sybil e Seline é mandar almas para o inferno de Cade e ficarem com os corpos para matar a fome e um tipo de formol para preservar a beleza, mas até agora não temos a mínima ideia de qual a intenção de Seline na série, era apenas regatar sua irmã? Eu acho que não. E agora nem mesmo as intenções de Sybil são certas, Damon menciona o objeto que roubou do pai de Matt, mas não sabe dizer o que é nem pra que serve e claro que Sybil nem abriu a boca para falar sobre. Eu já imaginava que ela não ficaria presa lá por muito tempo, tenho que dizer o quanto estou admirando o trabalho da Nathalie Kelley, estou odiando com todas minhas forças Sybil! 

Como disse no começo, fiquei com medo de que Tyler não teria uma honra digna sob sua/minha memória, porque se tem uma coisa que TVD faz e muito bem são os memoriais. Nesses momentos, a série toca na questão que nos define humanos, viver. Viver e saber o que é importante para nós, saber lidar com o fato de que coisas ruins aconteceram com você, que muitas vezes prosseguir é o caminho mais doloroso, mas ainda assim é um caminho. É uma estrada que devemos seguir, onde devemos aprender e encontrar forças para viver mais um dia, onde devemos perceber que nem tudo é um caso perdido, que nem tudo está acabado. Ter alguém em que se apoiar é algo que nos torna mais fortes e foi isso que a cena no final resgatou a nós, não desistir e continuar firme, porque todos somos fortes o bastante. Depois de um rio de lágrimas, fiquei super contente em ver Ric escrevendo em seu diário, a maneira orgulhosa dele ao ver seus amigos tentando viver mais um dia, eu tenho quase um abismo por esse personagem. 

Com toda ação do finalzinho do episódio, fica agora o questionamento de qual será o próximo passo das sereias e qual o papel de Lizzie e Josie em tudo isso? Até a próxima!
Comentário(s)
0 Comentário(s)