The Vampire Diaries - 8x04 - An Eternity of Misery

Por Elizabeth Silva

16 de novembro de 2016

Acredito que após assistir ao episódio An Eternity of Misery, posso afirmar sem dúvidas que este até o momento foi o que mais obteve sucesso em resgatar a essência da série. Nas primeiras temporadas tínhamos mistérios que eram arrastados ao longo dos episódios e somente aos poucos vocês encontrava as pistas para resolve-los, e foi exatamente isso que tivemos nesse episódio e que me encheu de alegria ao ver que mesmo com importantes coisas sendo reveladas ao público, não tivemos tudo solucionado no mesmo episódio como vinha acontecendo. 

No quarto episódio não tivemos a presença de Bonnie e Enzo, mas sabemos que ela continua na luta para trazer a humanidade dele novamente, e também tivemos uma cena curta e, ainda sim, fofa de Steroline. O episódio foi mesmo centrado na história dos protagonistas e centro de tudo na série, os irmãos Salvatore. Após Sybil ser capturada com o uso do diapasão, graças a Alaric e Georgie, passa a ser mantida presa no Arsenal e Damon ainda permanece sob o controle dela, afirmando que o seu trabalho mal havia começado. O episódio já começa com uma volta no tempo, 750 anos a.C. para ser mais exata, mostrado duas jovens que pareciam perdidas numa ilha. Bem não demorou muito para todos suspeitarem que aquele história pertencia a Sybil, mas a grande pergunta era e quem era a garota junto com ela? Depois dessa cena temos o episódio basicamente divido entre o interrogatório de Sybil e a busca misteriosa de Damon. 

Devo dizer que os produtores conseguiriam montar uma história interessante sobre a criação das sereias, afinal a série se baseia nessas criaturas místicas, mas sempre dando uma origem capaz de condizer com a "realidade" que eles tratam. Bem, a história de Sybil, que descobrimos ser uma telepata antes de ser uma sereia, é realmente triste. Trata-se da intolerância que seu povo tinha e o medo daquilo que não conheciam, afinal as pessoas temem aquilo que não entendem e esse temor leva ao ódio e esse ódio levam as pessoas a fazerem coisas que contestamos ainda hoje e que julgamos como atos inumanos. Esse ódio levou ao exílio de Sybil para uma ilha onde estaria condenada a morrer, afinal lá nada tinha. Para sua surpresa ela encontra outra jovem, com o mesmo dom que ela que a ajuda e ambas passam a viver juntas como irmãs. Ela as denomina como "garota da ilha" e "garota da aldeia" e fica a você decidir quem era quem, pois mesmo ela dando a entender que era a garota da aldeia eu tive sérias dúvidas e só tive minha resposta no final do episódio. Ela começa contando sua história para Stefan e Alaric, mas Ric precisa se afastar por um momento deixando apenas os dois lá, e ao meu ver Sybil queria mesmo que somente Stefan ouvisse o que ela tinha para dizer. Fiquei me perguntando o porque, e minha resposta veio logo em seguida, a história de Sybil era em partes muito, mas muito mesmo parecida com a história de Damon e Stefan. 
Sybil explica o que teve que fazer para sobreviver, atraindo os pescadores usando sua telepatia, e tendo que comer a carne humana. A jovem estava mais do que arrependida e jura nunca mais cometer tal ato, mas sua irmã fingindo ser carne animal lhe alimenta constante mente com carno humana. Assim como Stefan manteve Damon vivo, a irmã de Sybil fez o mesmo, ainda que contra a vontade dos outros. Fica mais horrivelmente parecida no momento em que Sybil descobre o que sua irmã estava fazendo e decide se matar, desesperada sua irmã faz um acordo com outra figura mística, que podemos chamar de Diabo, onde ambas seriam imortais e jovens, desde que mandassem as almas condenadas para o inferno e poderiam ficar com sua carne para manter a beleza. De novo somos capazes de comparar o quanto a história se assemelha, já que Stefan faz Damon tomar sangue humano para que não ficasse sozinho. Nas primeiras temporadas nós vemos o quanto Damon culpa o mais novo por ter estragado sua vida e promete a Stefan uma eternidade de miséria, frase que dá título ao episódio, e que, posso estar sendo equivocada ao dizer isso, me parece ser algo que Sybil jurou a sua irmã também. Mas vemos o quanto inúmeras vezes Stefan se arrepende e que Damon finalmente o perdoa por isso, mesmo acreditando que se fosse ele, Damon nunca deixaria seu irmão completar a transformação, apesar de ser um egoísta de primeira ele ama Stefan mais do que tudo, tenho minhas dúvidas sobre esse assunto. Sybil constantemente pegunta a Stefan qual das duas garotas ele era naquela história, a que tentou salvar sua irmã ou a irmã que alimentou a outra contra sua vontade e a forçou viver aquela vida? A resposta dele não poderia ser diferente, ele era ambos. Ele cometeu erros mas se arrepende e tenta de todas as maneiras consertá-los. Ao final, ela ainda dá a dica de como pode libertar Damon, e que solução mais desesperadora não? Matar o próprio Diabo não me parece algo lá muito animador. 

Mudando o foco para Damon, vemos o que o mesmo vai a procura de um homem que parece ter algo que Sybil necessita, nem ele mesmo sabe o que é, mas tem certeza que assim que por seu lindos olhos nela terá certeza do que é. 
Eu fiquei me perguntando se Peter Maxwell era um personagem aleatório para compor a história ou não, descobrimos que não ao ver quem era seu filho, ninguém mais ninguém menos que Matt Donovan, o único que começou e vai terminar como humano na série. Nunca tivemos um envolvimento muito grande da família do Matt na série após a morte de sua irmã, claro ele sempre esteve lá para ajudar seu amigos, ainda que contra sua vontade, mas eu senti que aos poucos os produtores não sabiam mais o que fazer com ele apenas o mantinham ali como um step. Mas dessa vez um artefato faz parte de sua família a gerações e isso pode levar a um aprofundamento maior na história dessa personagem. Antes de ir embora, Damon avisa a Donovan onde ele havia deixado Tyler, que estava prestes a morrer, Matt parte com seu pai em busca do seu amigo, enquanto Damon consegue por as mãos nesse objeto sinistro. 
Lembram que Alaric precisou se afastar de Stefan? Foi para atender uma ligação estranha de sua babá, falando que Georgie havia invadido sua casa. Certo, preciso reforçar que estava sendo contada uma história sobre duas sereias entre essas cenas, e que tudo apontava para a jovem Georgie, e eu me recusava a acreditar que ela era a segunda sereia, afinal tava amando ela! Meu coração quase deu um pulo quando vi ela trancando Ric dentro do cofre do Arsenal e sedando Stefan, tudo no timing perfeito onde Sybil diz "Minha irmã faria tudo por mim" e ambas se encaram de maneira séria. Mas o que ficou me incomodando é que a própria Georgie havia dito a Alaric a maneira como poderia sair do cofre e ela havia descoberto sobre o diapasão também, e não parecia nem um pouco preocupada com ele ou tentou sumir com o objeto, já que aquilo poderia lhe fazer mal. Quando tive quase certeza de que era ela, Sybil revela a Stefan quem é sua verdadeira irmã e logo em seguida apaga essa informação da sua mente. Estava com saudades desse mistério que The Vampire Diareis possuía e foi perdendo no decorrer dos anos, mas parece ter encontrado de novo. Bem, a única que sabia que a "garota da ilha" é Seline, a babá das filhas de Ric e Caroline, era justamente minha querida Georgie, que nem preciso dizer que teve um final muito clichê ao Seline matar ela. 

Como disse o começo, apesar das revelações do episódio, muita coisa ainda precisa ser investigada e explicada, o público sabe quem é a segunda sereia, os personagens não e isso ainda vai render muita ação, pois tenho certeza que as pequenas Lizzie e Josie estarão muito envolvidas nisso tudo. Fico me perguntando também se Sybil guarda mais rancor do que somente na história que apresentou, ninguém sabe como ela foi capturada, teria sua irmã deixado isso acontecer? E este objeto que Damon achou, o que ele faz? Essas perguntas me enchem a mente e me deixa curiosa para saber o que vocês acharam também! Até a próxima review! 


P.S.: Não, ainda não aceitei que o Tyler morreu daquele jeito, posso estar sendo iludida, mas não aceito esse tipo de morte pro personagem não!
Comentário(s)
0 Comentário(s)