Grey's Anatomy - 13x7 - Why Try to Change Me Now?

Por Rozany Adriany

9 de novembro de 2016

Dói na minha alma dizer isso, mas estou desanimada com Grey’s Anatomy, amigos. Meu desanimo começou após a morte de Derek, e para ser sincera, desde a saída do personagem que o meu sentimento é que a série não continua mais a mesma. Não vou ser hipócrita em dizer que só tivemos episódios ruins desde então, mas também não dá para dizer que a qualidade da série permanece a mesma de antes. Porque não, não permanece! Como já falei diversas vezes, temos plots desnecessários e completamente chatos, temos histórias mal contadas e internos/residentes que se fizessem uma rebelião e não fossem trabalhar não fariam falta alguma porque em nada acrescentam. 

E o que mais me irrita é o fato de que sabemos que a série tem muito potencial, afinal não é à toa que estamos na 13° temporada. E nem adianta dizer que o problema é que temos temporadas demais porque sabemos também que o que não falta é série com temporadas ainda maiores e que conseguem se estruturar bem até hoje, vejam Law and Order SVU por exemplo. O problema aqui é que parece que Shonda Rhimes se perdeu em algum lugar entre meados da season 12 até agora. 

O Grey-Sloan tem uma equipe com os melhores atendentes, e o que eu vejo é que está parecendo que de nada adianta, já que pararam de coloca-los para ensinar, pararam com as competições, com os riscos, com os casos extraordinários que vez em sempre apareciam, e tudo isso para que? Para colocar um bando de médicos indo trabalhar a cada dia e mais falar de seus problemas pessoais (muitas vezes bobos) por 40 min a cada semana do que mostrar o que realmente sabem fazer de melhor. Resolve isso aí, produção! 

E sei que muitos vão dizer que parece que estão querendo resolver isso com a chegada desta consultora Dra. Eliza, mas eu insisto que estão fazendo isso da maneira errada. Primeiro erro: dar moral para os internos/residentes. Segundo erro: colocar Bailey com a possibilidade de apunhalar Webber pelas costas (me desculpem, mas é isso que é). Terceiro erro: a doutora é incrivelmente irritante e chata (já entrou para minha lista de personagens que podem morrer). 

Eu como chefe buscaria algo para impulsionar os atendentes, algum curso, alguma cirurgia impactante (dessas que já vimos tantas vezes em Grey’s), alguma palestra, algo do tipo, algo que mostrasse que eles se acomodaram e precisam voltar a trabalhar a fim de estimular aos seus internos/residentes e fazer com que o hospital volte a ser o melhor no que faz. E se parar para pensar é possível fazer isso até mesmo tendo uma reunião do conselho, afinal a maioria dos atendentes estão ali e caso tivessem uma conversa aberta com as cartas na mesa, as coisas poderiam mudar. 
E para mim o principal erro da Catherine e da Bailey foi esse, porque ao invés de pensar em algo desse tipo, o que elas decidiram foi introduzir uma desconhecida com fama de causar demissões entre as equipes dos hospitais, que além de tudo é extremamente intrometida em suas “observações”, o que causou uma euforia negativa entre os atendentes. 

Saindo dessa problemática em que se baseou o episódio, tivemos também Amélia e Owen lidando com seus atuais problemas, ou eu deveria dizer “não lidando”? Primeiro de tudo, acho que a pauta “filhos” ainda não devia nem estar em discussão entre o casal, visto que acabaram de se casar, mal tiveram uma lua de mel, e definitivamente ainda não se conhecem totalmente. Até porque gente, qual é a pressa? Porém, a pauta começou a ser discutida prematuramente, porque sabemos que Shonda adora causar uma crise, e para variar Amélia não consegue lidar com ela da maneira certa. Para começar, a personagem foge do problema ao se esconder no hospital ao invés de voltar para casa e encarar a conversa com o marido, o que só faz causar confusões entre os dois. 

Em seguida, ao ser questionada por Owen, ela solta a bomba “não quero ter filhos” em cima dele da maneira mais errada possível. Qual é o problema em sentar e conversar, pelo amor de Deus? Acreditem, dá menos trabalho do que esse carnaval todo! E sobre a bomba que Amélia soltou, só posso dizer uma coisa: qual é o seu problema com Owen sendo papai, Shondanás maldita? Primeiro Cristina e agora Amélia? Só para, colega. Não vejo necessidade alguma em repetir essa história

E por fim, temos Japril que, eu nem acredito que vou falar isso, mas salvaram o episódio de ser uma completa chatice. April entra para o mundo do Tinder e nos proporciona algumas boas risadas com seu jeito maluco de ser ao não saber como lidar com os “matchs” do aplicativo e claro, com o fator Jackson. Devo dizer que sou trouxa e passei o episódio inteiro esperando que Jackson avançasse e dissesse: “não quero que você saia com ninguém porque te quero comigo.” E sim, eu iria adorar ver isso. Mas, como sempre, Jackson foi um verdadeiro cavalheiro e estimulou a ex-mulher a se valorizar e ser feliz. Só nos resta continuar na torcida de que Shonda tenha piedade de nossos corações e nos contemple com pelo menos um de nossos shippers feliz e saudável porque não dá para aguentar Japril como amigos.

Ps1. Amélia batendo na porta da Meredith e Alex a expulsando antes dela revelar o porquê estava ali foi ótimo.
Ps2. Não shippo de maneira alguma Arizona com essa nova consultora chata, porém, só eu percebi um certo flerte com aquele “não dá para esquecer esse nome com esse rosto”?

É isso, amigos. Fiquem à vontade para deixar aqui abaixo seus comentários sobre o episódio e sobre a temporada até o momento. Até a próxima!
Comentário(s)
0 Comentário(s)