Conviction – 1x06 – #StayWoke

Por Janaína Guaraná

21 de novembro de 2016

No episódio dessa semana, Conviction deixou em segundo plano as questões emocionais que tanto falo nas minhas rewiews e deixou o caso tomar conta da trama. 

Então uma policial foi baleada, em um protesto pedindo justiça, pelas pessoas negras que são assassinadas pela polícia. É internacional o número de casos assim diariamente e sabemos que o racismo existe e uma pessoa é julgada diariamente pela cor da sua pele. Eu não vou me demorar nesse assunto, porque é notável a necessidade de falar sobre racismo, assim como é notável a falta de empatia e amor. Eu acredito que exista apenas uma raça; que é a humana e que as pessoas são inocentes até que se prove o contrário. E que somos todos iguais perante a lei, as pessoas e todos os objetos que tornam o mundo, mundo. E se você acha que é melhor simplesmente pela cor da sua pele, eu tenho pena de você. 

Torço por um mundo justo e onde as pessoas possam ser quem elas são na alma e não precisem andar com medo ou se esconder. Torço para o ver o dia onde as pessoas serão expressão da própria humildade e das coisas que as fazem pessoas, e detalhes como cor da pele e opção sexual não serão rótulos definitivos para uma pessoa ser boa ou má, bandido ou mocinho, para casar ou para ser meu jardineiro. 
Voltando ao episódio. A ex do Wallace e Hayes está na cidade e não fomos com a cara dela. Além dela completar um triangulo amoroso que não queremos ver, ela ainda se acha poderosa o suficiente para falar pelo promotor que nós sabemos que tem boca e pode falar por ele mesmo. Hayes parece estar mais perdida do que nunca, não sabe onde fica, com quem fica, onde vai e porque vai. Sei que em uma dessas idas, acaba vendo o que não queria ver e ainda bem que ela carrega uma garrafa de whisky. 

Esse joguinho do Wallace uma hora vai cansar e sabemos muito bem que a Hayes é forte suficiente para deixar ele para trás, como já fez uma vez. Que a Hayes continue em frente, porque se ele não quer, tem quem queira!
Comentário(s)
0 Comentário(s)