Supergirl - 2x1 - The Adventures of Supergirl (Season Premiere)

Por Rozany Adriany

13 de outubro de 2016

Supergirl mudou de casa e voltou com tudo! 

Vou contar para vocês que com apenas dois minutos da aparição do nosso queridinho Superman eu já estava amando a interação dele com a Kara. Agradeci muito aos produtores, porque passei a primeira temporada toda pedindo por Clark Kent, e ao meu ver, deu super certo a introdução do Tyler à temporada! E como tudo tem que ter uma coerência, nada mais justo da primeira missão dos dois juntos ter algo a ver com a família Luthor, uma vez que sabemos que o principal rival do Superman é Lex Luthor. 

Com um episódio repleto de referências como “Vamos voltar para Gotham” e “Para o alto e avante”, um caso interessante e a introdução de novos personagens de maneira bem desenvolvida, sem falar, é claro, da magnífica interação entre Kara e Clark (que já citei acima), a CW acertou lindamente com o retorno da nossa queridinha Kara/Supergirl, afinal, cabe dizer que muitos estavam com medo da série ter um declínio com a transição para sua nova casa. Mas, vamos comemorar que, até o momento, isso não aconteceu. 

Partindo para as nuances do episódio, vamos começar falando desse dilema da Kara com relação ao James. Ok, eu sei que muitos não querem o casal juntos e tudo mais, mas a minha indagação é: qual a necessidade de a personagem passar uma temporada inteira apaixonadinha pelo cara, para logo no primeiro episódio, quando finalmente podem ter, pelo menos, um encontro para ver se rola ou não, nem isso acontece? Entendo que Kara está lidando com suas dúvidas e com alcançar seu potencial, não só como Supergirl, mas como pessoa propriamente dita, mas, acho que não ficou legal. Afinal, não gosto muito deste drama: ela gosta dele, ele não gosta dela, e quando ele finalmente passa a vê-la de uma maneira diferente, ela que não gosta mais dele. 

Mas, vamos avançar, porque já estamos cientes que James vai ficar na friendzone mesmo, e como Clark disse, ela vai saber quando o carinha certo aparecer! E se o Clark disse, está dito, não é amigos? E falando nele, claro que preciso reservar um parágrafo exclusivamente para ele. Muitos estavam receosos com a introdução do personagem à trama e até mesmo com a sua permanência ao longo da temporada, afinal, como Kara mesmo disse, Clark Kent não só é o Superman, como também é um brilhante repórter e tem um relacionamento estável com Lois Lane, além é claro de estar a mais tempo lidando com sua identidade e com o fato de ser super-herói. Porém, o que mais me agradou, tanto na introdução do personagem como na interação com a protagonista, foi que ele não apagou a importância dela, afinal a série é dela, gente! 

Gostei bastante de ver essa questão familiar ser trabalhada entre os dois, dele a protegendo, dando conselhos e sendo carinhoso, além de pedindo para saber mais sobre as histórias da família, incentivando-a a crescer e se fortalecer. Gostei de ver um Clark mais relaxado, mais nerd, mais “desengonçado”, mais humilde e aberto a trabalhar junto com sua prima, um Clark totalmente diferente do filme, por exemplo, em que tinha uma pose mais dura e mais esnobe. 
E no que diz respeito ao caso, o que mais me surpreendeu é que nos mostrou que nem todos os Luthors são como o cabeça da família. Quando a explosão do Ventura acontece e leva Superman a National City, nos é evidenciado que a irmã adotiva de Lex Luthor se mudou para a cidade e pretende mudar o nome da empresa, agora que a assumiu devido a prisão de seu irmão. De cara a desconfiança vai toda para cima dela, uma vez que seu sobrenome já nos diz tudo o que precisamos saber (pelo menos é dessa forma que é visto), mas, é exatamente aí que está a surpresa. O que acontece é que não foi Lena Luthor quem explodiu o avião, e sim, alguém contratado por Lex justamente para matar sua irmã.

Além de lidar com o caso junto com seu primo e com suas dúvidas em relação ao relacionamento com James, Kara está lidando principalmente com suas dúvidas em relação ao seu emprego e a ser não só a Supergirl, mas Kara Danvers. Vou ser sincera com vocês e dizer que não sei se gostei ou não dela ter escolhido ser repórter, no fundo tenho esse receio de que a personagem pareça uma cópia de seu primo, mas acredito que se os produtores da série souberem trabalhar bem essa questão na personagem, ela se mostrará completamente diferente de Clark no âmbito profissional. 

Ah, e não posso deixar de citar aqui a maravilhosa Cat Grant. Não só a interação entre Kara e Cat continua maravilhosa (e devo dizer: senti saudades), como ver ela toda boba para cima do Clark foi uma graça, ri horrores! A personagem é um exemplo de mulher forte e decidida que enriquece a trama e isso não há nem o que questionar. Tudo o que quero saber agora é como a história ficará, uma vez que sabemos que a atriz não é mais regular na série, devido à mudança das gravações para a nova emissora. 

E para finalizar, o que será esse Projeto CADMUS? Vemos que o assassino contratado por Lex que deveria ter morrido, está passando por um tipo de tratamento, que não pode ser coisa boa, e tudo o que temos é a menção a esse projeto CADMUS! Continuando na sinceridade, tudo o que posso dizer é que não faço ideia do que seja esse projeto e que estou ansiosa para ver o que nossos queridos super-heróis irão enfrentar nos próximos episódios. 

Ah, algumas coisinhas extras: 
1. Que saudade que eu estava da fofura do Winn. Adorei ele ter entrado oficialmente para o DEO. 
2. Por mais piscadelas e momentos fofos de Clark Kent, eu voto sim! 
3. CW, pague um jatinho particular para a magnífica Calista Flockhart (Cat Grant) continuar com regular na série, por favor. 
4. O que falar deste novo kryptoniano na pele de Chris Woods que já amo? 

É isso amigos, até a próxima. E deixem seus comentários aqui embaixo.
Comentário(s)
0 Comentário(s)