Quantico - 2x1 - Kudove (Season Premiere)

Por Rozany Adriany

4 de outubro de 2016

Para quem estava com medo da 2° temporada começar ruim, meu conselho é: pode dar play sem medo! Ação e suspense na medida certa, além daquele velho esquema de passear entre o passado e o futuro que nos causam sentimentos mistos durante todo o episódio. Então, para quem acompanhava minhas reviews da 1° temporada, vou seguir o mesmo esquema e comentar as duas partes separadamente. 

Vamos começar falando da Alex e seu trabalho na CIA. Após ser convidada para trabalhar, ela aceita, e de cara, descobrimos que a mesma nunca deixou o FBI e na verdade está infiltrada na CIA a fim de obter informações sobre um campo de treinamento clandestino. E como sabemos que onde Alex está, Ryan está, o mesmo também está infiltrado neste grupo a mando do FBI. O problema? O primeiro conflito entre o casal acontece porque, tanto Alex esteve mentindo sobre seu trabalho na CIA, como Ryan esteve mentindo sobre a sua missão secreta. E aqui nos parece que o trabalho dos dois é uma constante que os leva à problemas, porém, eles decidem manter um lugar seguro para que sejam verdadeiros um com o outro para que a relação dê certo. 

Se na primeira temporada os recrutas estavam em Quantico, agora eles estão em um local chamado “The Farm”, um campo de treinamento da CIA, onde os convocados serão treinados e passarão por alguns testes que determinarão se eles têm aptidão para ser espiões, ou seja, uma Quantico 2.0, porém, me parece que mil vezes pior. E como em Quantico, a única coisa que sabemos é que só podemos confiar em Alex e em Booth praticamente, a desconfiança começa sendo apontada para todos os lados, e a primeira amostra que temos é em um teste onde os participantes precisam descobrir coisas a respeito de um companheiro, sem saber que o verdadeiro teste é não deixar que descubram muitas informações sobre si próprios. Além disso, sei que não dá para especular ainda, mas... será que temos um novo Liam nesse chefe da CIA? Não consigo formular teorias ainda amigos, porém, esperem por várias especulações nas próximas reviews.

Após esse primeiro momento, o próximo teste é nada mais, nada menos que pular de um avião, e aqui podemos ver nossa velha Alex Parrish sendo particularmente testada por sua característica mais marcante: tentar ser uma heroína. E, gente, estava meio que óbvio que Alex não iria deixar a mulher pular com o cinto defeituoso né? Tudo para, por fim, descobrir que a mulher não é recruta coisa nenhuma e sim, estava infiltrada entre os recrutas para analisá-los melhor. Já posso dizer que não confio em ninguém desse grupo e muito menos nesse povo da “The Farm”? 
Enquanto isso, no futuro/presente, em Nova York, podemos ver outro atentado, porque Quantico sem atentado não é Quantico, no momento em que alguns líderes estão reunidos para debater sobre o fim da vigilância global. Os representantes são presos em um prédio pelos terroristas que buscam o perdão do governo para algumas pessoas, supostamente injustiçadas. E vamos combinar: claro que Alex estaria no perímetro, depois de se encontrar com Ryan no prédio alguns minutos antes. E claro que sobraria para ela a função de descobrir o que está acontecendo, quem são os terroristas e o que querem de verdade! 

Não sei se vocês perceberam, mas além de descobrirmos, junto com Alex, que um dos terroristas é um dos convocados da CIA para “The Farm” lá no passado, algumas pistas nos foram dadas, acredito eu que, a fim de deixar-nos com mais pulgas atrás da orelha. Que pistas seriam essas? Quando Ryan mente dizendo que é o assessor do Presidente e é levado para outra sala junto com o Presidente e sua mulher, um dos terroristas não só sabe o nome dele, como também dá a entender que sabe que ele está mentindo, nos remetendo outra vez aos convocados. Apesar do presidente estar disposto a cumprir com as exigências dos sequestrados devido à ameaça feita à sua esposa, após o cumprimento da primeira exigência, os terroristas não só não cumprem com o combinado, como também separam algumas das pessoas que estão na sala. 

Por fim, minha reflexão sobre esse começo da temporada é: apesar de seguir os mesmos padrões, tanto na estrutura do episódio, com o recurso da linha temporal, como com o contexto da série em si, nas questões dos atentados, do novo treinamento, e de toda desconfiança geral, a série conseguiu manter uma boa qualidade de suspense e ação neste primeiro episódio, o que, me faz torcer bastante para que continue assim nos próximos episódios. 

Ps. O que foi aquela cena da Alex devolvendo a aliança ao Ryan e dando a entender que ele está com outra? Já começamos a temporada sofrendo com o shipper, amigos. 

É isso, até a próxima. E espero por seus comentários aqui embaixo.
Comentário(s)
0 Comentário(s)