Grey's Anatomy - 13x3 - I Ain’t No Miracle Worker

Por Rozany Adriany

12 de outubro de 2016

Quem leu minha review anterior sabe que descarreguei todas as minhas frustrações com relação a este começo de temporada e aos plots criados por Shonda ultimamente. Fico feliz em dizer que este terceiro episódio foi melhor do que os dois primeiros, mas não posso esquecer os plots chatos que insistem em aparecer e reclamar deles um pouco mais. Porém, para não dizer que só sei reclamar, vou começar falando de tudo o que gostei no episódio. 

Primeiro de tudo: gostei bastante do caso da semana, que me fez relembrar de alguns casos maravilhosos que já tivemos em outros episódios de Grey's, e como não se identificar com o sofrimento de uma família que está de luto, em um funeral e de repente se vê em uma emergência após um acidente de carro? Sem falar nos dramas e nas confusões típicas de familiares, né? Devo dizer que sofri horrores com aquela mãe tendo que lidar com a perda do seu marido e toda preocupada com o restante da família que estava no hospital, para em seguida descobrir que sua filha que há muito tempo havia se afastado da família havia voltado e era justamente a causadora do acidente, e mais... estava grávida. 

Por outro lado, como lidar com o sofrimento da filha grávida que sofre pela morte de seu pai e por não ter tido a oportunidade de passar mais tempo com ele, além da preocupação com seu bebê e com o que sua família irá pensar dela ser a culpada pelo acidente. E como tudo pode piorar... quando a mãe morre subitamente, meu coração simplesmente para e tudo o que consigo pensar é: "para que mais desgraças, gente?". E como neste episódio temos muitas menções à milagres, eis que a mãe volta à vida e ninguém sabe explicar o que aconteceu para ela ter passado mais de uma hora dada como morta, e após uma cirurgia de emergência, a família abre mão das brigas para reencontrar a irmã e o mais novo membro. 

Continuando com os momentos bons... o que falar de Alex e April que estiveram simplesmente cômicos durante todo o episódio? Vê-los de fora da sala de cirurgia lidando com a dorzinha de não poder trabalhar como gostariam foi simplesmente hilário. April arrancou incontáveis risadas ao descrever o tédio de estar em casa vendo sua recém nascida dormir sem poder fazer nada, além de deixar a bebê aos cuidados do pai e dos colegas para ver algumas cirurgias. Me lembrou aqueles viciados que não conseguem ficar longe da sua droga, sabem? Enquanto Alex nos matou de rir ao descrever o trabalho na clínica totalmente diferente do que ele costumava fazer como cirurgião pediátrico. 
E, claro, não podemos esquecer de Miranda Bailey. Antes de qualquer coisa: Quem viu o tempo passar e o pequenino Tucker crescer dessa forma? Porque eu que não vi, amigos. É em momentos como esses que minha memória vai lá no comecinho e revive aquele momento ímpar do O'Malley ajudando Bailey a trazer o pequeno Tucker ao mundo, e olha só como o garoto está agora... arrumando briga na escola e preso na sala da chefe esperando por sua punição, enquanto a mesma foge de dar bronca no filho, e Warren batalha para se sentir uma parte mais ativa na família. E falando em Warren, quem não morreu de rir com ele assustando Tucker mostrando as fotos de DeLucca e falando que ele havia morrido devido a briga que teve com Karev? A cara do Tucker e o final dele falando para a mãe que não iria mais brigar porque não queria ser preso foi impagável. Warren querido, você exagerou, mas que foi engraçado foi! 

Por fim, partindo para as problemáticas: não canso de falar que estão forçando a barra com Mer e Riggs se encontrando a cada cinco minutos ao longo do episódio. Shonda, querida, já entendemos que vai rolar, pode parar de forçar a barra! Terei que lidar com isso amigos, porém, meu coração sangra! Além disso, quando será que Maggie irá crescer? Tá feio demais esse blá blá blá interminável sobre sua paixonite por Riggs. E falando nisso... só eu fiquei achando que Amelia iria ligar os pontos e descobrir que Mer não quer ouvir a Maggie porque está interessada em Riggs? 

Ps1. Vocês não acharam que eu ia deixar a menção a meu amado e inesquecível Derek Shepherd passar despercebida, não é? Aquela ferida incurável no meu coração sangrou ainda mais quando Mer falou ao Riggs que sonha com Der batendo na porta pedindo desculpas pela demora. E só tenho uma coisa a dizer amigos: eu tenho o sonho do milagre a cada play nos episódios. Sonho que meu amado Derek não morreu, que Riggs não é pretendente coisa nenhuma e que meu shipper MerDer é feliz forever. Iludida, sim ou claro?

Ps2. Falando em MerDer... Onde estão os lindíssimos filhos do meu querido casal? Shonda, por favor, mostre-os porque não quero me surpreender com eles adolescentes como me surpreendi com Tucker ein. 

Ps3. Não gostei de Amélia e Maggie se juntando para criticar Meredith. Ninguém é obrigado a escutar a reclamação sem fim da Maggie, vamos combinar, né?

É isso, amigos. Até a próxima e espero por seus comentários aqui abaixo.
Comentário(s)
0 Comentário(s)